João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Dizer verdade

Ora, qualquer um de nós sabe e é tentado à maledicência, ao comentário acintoso, à crítica quando a coisa não corre tal como a desejámos. Mas dizer verdade é um compromisso com a vida.

25 jun 2020

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Soldado sem patente

Já representei para um único espetador – nunca entendi esse princípio de um número mínimo de espetadores para ter lugar uma representação, afinal essa única pessoa não nos reconheceu como artistas?

21 mai 2020

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Das palavras antes nunca ditas

Não se pode dizer tudo porque há verdades com que apunhalaríamos uma relação.

16 abr 2020

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Pensar de novo

Lidera-se quando face às adversidades se encontram soluções.

12 mar 2020

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

O aeróstato

Afinal dava jeito ter-se à mão a mão de quem votava sempre a favor da maioria de momento.

6 fev 2020

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Por dois

Por vezes sobra o silêncio para dizer as coisas indizíveis, que as há, claro! Por vezes impensáveis até.

28 nov 2019

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Coisas 1 e 2

É desconcertante quando nos apercebemos o tanto que algumas pessoas sabem sobre as minudências de terceiros com quem se conectam em permanência pelas redes sociais, e nada, absolutamente nada, sabem do que sente, pensa ou faz um filho seu, o cônjuge, um familiar.

24 out 2019

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Das coisas de que são feitos os dias

Não sou escritor mas acredito na angústia do vazio.

19 set 2019

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

A Paixão, segundo Rafael Barreto

Sábado estranho, este, em que uma fascista encartada diz que os ciganos são inassimiláveis; que os africanos e afrodescendentes se auto-excluem.

11 jul 2019

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Prenda de aniversário

Respeito, menino! É a tua mãe. – Repreendeu o mais velho dos irmãos, que gostava do respeito e gostava de ser respeitado.

2 mai 2019

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

A rapariga da frutaria

“Ia eu adivinhar que a rapariga era instruída ao balcão da frutaria!”

28 mar 2019

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Massacre silencioso

Naturalmente que não tenho a pretensão de aqui apresentar uma solução.

21 fev 2019

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Arrumar os gestos

Acredito que o relógio nos trai mais vezes do que aquelas que damos conta e por via disso amiúde dizemos que andamos a correr contra o tempo.

17 jan 2019

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Ir à cabeleireira a Lisboa, claro!

- Qual quê? Não é desse teatro! Este é teatro a sério. Vem de Lisboa!

8 nov 2018

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

João Lázaro, psicólogo clínico e director artístico do TE-ATO

Olhar de alto a baixo

Está um sujeito embevecido com o talento de um jovem empoleirado numa grua a decorar uma empena, e logo alguém nos aborda com a informação que um tribunal sentenciou de mansinho dois energúmenos que violaram uma cachopa.

4 out 2018