Covid-19

Covid-19: Município de Óbidos recusa ter casos positivos

14 jun 2020 11:48

“É injusto que digam que Óbidos tem casos positivos de Covid-19, quando, na verdade, não tem”, sublinha o presidente da Câmara

covid-19-municipio-de-obidos-recusa-ter-casos-positivos

Foram registados no concelho de Óbidos, no sábado, oito casos positivos de Covid-19. Segundo as autoridades de Saúde, o contágio ter-se-á dado num concelho vizinho, local onde estas oito pessoas, trabalhadores temporários na agricultura, estavam a laborar, estando, parte delas alojadas no concelho de Óbidos, adianta o Município num comunicado enviado às redacções.

“É injusto que digam que Óbidos tem oito casos positivos de Covid-19, quando, na verdade, não tem”, sublinha Humberto Marques, presidente da Câmara, citado na nota de imprensa.

Segundo o autarca, “a contabilização de casos positivos é feita no local onde a doença foi contraída e, neste caso, foi num outro concelho”.

“Não estamos aqui numa competição entre concelhos e muito menos numa luta para ver quem tem mais ou menos casos, mas não é justo atribuir a Óbidos casos positivos que não tem”, desabafa.

As pessoas em causa são migrantes que trabalham para uma empresa de trabalho temporário, sediada no concelho de Caldas da Rainha, ligada ao setor da agricultura, que tem residências temporárias nos concelhos de Caldas da Rainha e Óbidos, não havendo, contudo, “qualquer relação com transmissão comunitária nestes dois concelhos”, segundo as autoridades de saúde, refere o comunicado.

“Incompreensivelmente vimos o registo destes oito casos de Covid-19 no nosso concelho de trabalhadores que não têm qualquer relação de domiciliação fiscal neste território, mas antes, na área metropolitana de Lisboa”, explica Humberto Marques, acrescentando que “também não têm relação laboral no concelho”.

“Mais incompreensível é o seu registo ter sido feito em Óbidos, quando as normas do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) dizem que o seu registo deve ser feito no local da infecção, e neste caso as autoridades de saúde reconhecem que o local de infecção, o chamado place infection, não teve origem em Óbidos”, justifica ainda o autarca.

Todos os oito trabalhadores encontram-se assintomáticos, em regime de quarentena com vigilância activa por parte da autoridade de saúde e monitorizados pela GNR de Óbidos, lê-se na mesma nota. Tendo em consideração o trabalho desenvolvido no âmbito da prevenção e mitigação do risco, Humberto Marques destaca que “que continuam reunidas as condições de segurança dos munícipes e visitantes, devendo todos continuar a implementar as medidas de segurança determinadas pela Direção-Geral de Saúde, Autoridade de Saúde Local e pelo Município de Óbidos”.

“Continuamos a ser um território seguro, com baixos níveis de transmissão, pena é que a autoridades de Saúde, exceção feita à delegada de saúde pública de Óbidos, não tivessem seguido a orientação do Place Infection estabelecido pelo ECDC”, declara o autarca.

O presidente da Câmara Municipal de Óbidos aproveita esta oportunidade para “enaltecer todo o trabalho da população, das juntas de freguesia, grupos de voluntários, dirigentes e funcionários das IPSS, casas de acolhimento, empresários, protecção civil, grupos locais de proteção civil e, em particular, à coordenadora do grupo de trabalho municipal, Fátima Pais, que têm conduzido, até hoje, a excelentes resultados de baixa transmissibilidade do vírus”.

Retirando os oito trabalhadores que testaram positivo, Óbidos tinha no sábado, segundo a Autarquia, um caso activo e dois recuperados, não tendo qualquer vítima mortal por Covid-19.

No início de Março, quando foram diagnosticados os primeiros casos de doentes com Covid-19 em Portugal, o Município de Óbidos afirma que foi dos primeiros a nível nacional a implementar um conjunto de medidas preventivas e mitigatórias contra o risco de infecção dos seus munícipes, entre os quais a monitorização a todos os lares, casas de acolhimento de idosos e serviços de apoio ao domicílio a idosos do município, assim como às comunidades estrangeiras a residir no município e a realização de testes de Covid-19 para colaboradoras dos lares de idosos, casas de acolhimento de idosos, serviços de apoio domiciliários, bombeiros, creches e jardins-de-infância.

Assine Já Login

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?
Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.