Opinião

Congelado de marca branca

24 nov 2017 00:00

Se me der nas ganas de não vir dar consultas os pacientes vão procurar outro ou consultam o dr. google ou a dra. wikipedia.

O que eu tenho aprendido nos últimos dias… ou não! Talvez a idade me esteja a enfraquecer a irrigação cerebral e, por via disso, tenha maior dificuldade em entender certas coisas. Às tantas estou a confundir tudo e penso que aquilo que me parece óbvio afinal não o é de todo, e outros estão cheios de razão, o que faz de mim um ignorante.

Aprendi, por exemplo, que sou um congelado de marca branca. Tal qual como os produtos que há nas prateleiras dos supermercados e para os quais olhamos com desconfiança.

Farinha é sempre farinha. Mas não tendo tido a oportunidade que alguém me informe que determinada marca em particular é um produto distinto, hesito sempre entre o produto de marca e o mesmo produto de marca branca.

Cá para mim é tudo farinha do mesmo saco mas, enfim, sempre fica uma criatura mais descansada quando, nos extensos intervalos da programação televisiva, uma senhora sorridente me diz ser aquela a melhor escolha, demonstrado que é pelos pulinhos de satisfação do marido e dos gaiatos quando o bolo vem para a mesa.

Sou, por isso, um produto de marca branca porque não tenho uma empresa de publicidade a vender o que faço. Resta-me, assim, continuar a sobreviver nas prateleiras de baixo nos dois mercados que forneço: a psicologia clínica e o teatro/cultura. Nem sempre a coisa corre tão bem como gostaríamos.

Há períodos em que a clientela opta por produtos de marca e um tipo tem que fazer contas à vida se quer sobreviver com o mínimo de dignidade e manter a situação fiscal regularizada. Isto é coisa que chateia qualquer um, sente-se um sujeito assim como que com a carreira congelada. Vai daí cheguei a pensar fazer greve.

Aprendi esta semana que as há de dois tipos: deixando, por exemplo, de participar em eventos oficiais ou, simplesmente, não trabalhando. Ora, se eu não participar em eventos oficiais o evento decorre na mesma.

O mais que pode acontecer é a empresa de catering levar uns croquetes a mais de volta e ter um flute a menos para lavar, que no mais ninguém dará pela minha falta. Se não trabalhar estou lixado! Se me der nas ganas de não vir dar consultas os pacientes vão procurar outro ou consultam o dr. google ou a dra. wikipedia.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO