Viver

Vinte e três anos depois, os Exomortis estão de volta com o seu primeiro CD

13 nov 2019 14:10

Lhô, Sérgio Cardoso, Fernando Silva, Bigodes e Miguel Felícia formaram, na Maceira, uma das “lendas do death metal dos anos 90” de Leiria

vinte-e-tres-anos-depois-os-exomortis-estao-de-volta-com-o-seu-primeiro-cd
ACR Maceirinha vai receber regresso da banda no dia 15, a partir das 22 horas
DR
Jacinto Silva Duro

Corria o Verão de 1991, quando Lhô (voz), Sérgio Cardoso (guitarra), Paulo Sexy (guitarra), Bigodes (baixo) e Miguel Felícia (bateria) formaram, na vila da Maceira, Leiria, uma das “lendárias bandas do death metal dos anos 90” (1991-1997), da cena musical da cidade do Lis.

Vinte e três anos após o fim do grupo, os Exomortis estão de volta com o lançamento de um CD homónimo (à venda aqui pela editora Bonesaw Entertainement e pela editora Firecum Records) esta sexta-feira, dia 15, às 22 horas, na ACR Maceirinha (Maceira). 

Capa do álbum homónimo, de 2019

A festa de lançamento do álbum “será essencialmente uma reunião de amigos, que não se encontram há quase duas décadas e meia”, explicam. 

O CD vai estar disponível numa versão slipcase limitada a 50 cópias e exclusiva da editora Bonesaw Ent. e também em versão normal.

Um pouco da história
Em 1996, Sérgio Cardoso, Luís Filipe, Joaquim Jorge, Miguel Felícia e Fernando Silva – elementos de um dos mais míticos colectivos da cena musical de Leiria do final do século passado -,  escolheram os estúdios Digo Dai, em Tomar, para gravar 12 temas, com vista à edição de um CD. 

Porém, o percurso do colectivo terminou nesse ano, após as gravações serem efectuadas. No Verão de 2018, Marco Santos, responsável pela editora de Leiria BoneSaw Entertainment, que sabia da existência dos registos, decidiu contactar os elementos da banda e sondar a disponibilidade para uma edição. 

Depois, uniu esforços com a Firecum Records e... “eis que chegamos à sua concretização, 23 anos depois”, referem os Exomortis.

Percurso entre 1991 e 1997

“Em Outubro de 1991, gravaram Exomortis… But Live to Die, uma promo/reharsal tape apenas de promoção. Não saiu para o público, apenas para rádios, tanto quanto sei”, conta Marco Santos.

Já com o fim do ano à vista, ainda em Dezembro de 1991, gravaram a primeira demo tape com o título From Darkness to Darkness. Nela, podia-se escutar as seis faixas: Intro/Ancient Tomb, Petrified Pleasures, A Tribute to Thrash (instrumental), The Abscess, Enslavement of Obscurity e Psychotic Aberrance

Já em 1992, o tema Reflections of The Last Memory acha caminho para a compilação The Birth of a Tragedy, da MTM Records.

Exomortis
A banda em 1992

A 7 de Março desse ano, os Exomortis sobem ao palco do festival de Pernelhas (Leiria) e a segunda demo, 1993, ganha um registo no início de 1994. Nela aparecem os temas As a Stone, Gift of Life, Dream of Deception, D.S.M. e Words of Insane

É neste ano que o grupo altera a sua formação, com a entrada de Fernando Silva para o lugar de Paulo, na guitarra.

O último concerto aconteceu a 21 de Março de 1997. A seu tempo, os elementos dos Exomortis acabariam, com a chegada de Marciano para vocalista, de criar outra lenda na cena musical de Leiria, os Canker Bit Jesus.

Exomortis - Concerto de despedida
Concerto de despedida

 

Discografia (promo)
Exomortis… But Live to Die – Outubro de 1991
From darkness to darkness – Dezembro 1991
1993 – Janeiro de 1994 ( tinha a ref. AP01 e foi editada pela Apocalipse Productions que era também um programa de rádio e promotor de eventos)

Compilações
The birth of a tragedy (tema: Reflections of the Last Memories) – MTM,1991, 2xLP
From here to nowhere (tema Through the Looking Glass) - In-Edita, 1994, CD



EVENTOS