Sociedade

Um mercado em tendas há dez anos e um centro de saúde provisório há mais de 30

1 fev 2018 00:00

Promessas por cumprir na Marinha Grande, Nazaré... e não só.

um-mercado-em-tendas-ha-dez-anos-e-um-centro-de-saude-provisorio-ha-mais-de-30-8065
Maria Anabela Silva

LEIA MAIS

Promessas de Santa Engrácia na região há muitas. É verdade que ainda nenhuma bateu o recorde da igreja que dá nome a esta expressão popular e que demorou quase três séculos a ficar concluída, mas algumas arrastam- se há décadas.

Na Marinha Grande também as há. Embora a cumprir o primeiro mandato eleita como presidente, a actual líder do município, Cidália Ferreira, fez parte de diversos executivos socialistas que prometeram resolver o problema do mercado municipal, a funcionar há anos em tendas, construir uma nova piscina ou criar uma creche na antiga Ivima, que funcione 24 por dia e que dê resposta aos operários fabris que trabalham por turnos e ao fim-de-semana.

A questão do mercado tem feito correr muita tinta. Há 14 anos ficou concluído o Edifício Atrium, projectado para acolher essa valência, mas o espaço seria desmantelado. Em 2007, o mercado foi instalado, provisoriamente, em tendas montadas junto à zona desportiva. Provisoriamente… até não se sabe quando.

O assunto voltou a ser discutido na última reunião de Câmara, onde o vice-presidente da autarquia, Carlos Caetano, referiu que intenção do município é construir um novo mercado num terreno em frente às tendas actuais, mas o executivo não se compromete com prazos.

Outra das promessas adiadas na Marinha Grande é a construção de uma nova piscina municipal. A actual foi inaugurada há quatro décadas, no âmbito de um projecto pioneiro a nível nacional que tinha como objectivo ministrar aulas de natação aos alunos das então escolas primárias do concelho, mas hoje está totalmente “obsoleta”.

Em entrevista recente à Rádio Clube Marinhense, Cidália Ferreira manifestou vontade em que a futura piscina seja construída na antiga FEIS – Fábrica Escola Irmãos Stephens, como forma de ajudar a reabilitar aquela zona da cidade.

Até ao fecho de edição, a autarquia não respondeu ao pedido de esclarecimentos do JORNAL DE LEIRIA, que pretendia também saber como está o processo da creche na Ivima, anunciada em 2011. Em declarações ao jornal digital Observador, Cidália Ferreira explicou que a creche ainda não avançou por falta de financiamento, adiantando que a adjudicação aconteceu recentemente. Falta saber quando avançará e se a Segurança Social irá depois aprovar um acordo de cooperação para o funcionamento da creche 24 horas.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO
EVENTOS