Desporto

Ricardo Porém garante lugar no Dakar aos comandos de um Borgward

24 out 2019 00:00

Ligação do piloto de Leiria com a histórica marca alemã começa esta quinta-feira na Baja Portalegre 500

Foto: DR
Foto: DR
Foto: DR

Esta quinta-feira começa um novo capítulo na carreira de um Ricardo Porém “muito feliz” e “motivado”. Desejoso de “contribuir” para um “bom resultado”, o piloto de Leiria vai participar na Baja Portalegre 500 ao volante de um dos dois EVO Borgward BX7 presentes na prova alentejana.

O outro veículo da histórica marca alemã estará nas mãos do catalão Nani Roma, vencedor da última edição da Baja e de duas edições do Dakar. Uma em moto, em 2004, outra na competição automóvel, dez anos depois.

O regresso à Baja Portalegre 500 de Ricardo Porém, vencedor entre 2014 e 2017 de quatro edições consecutivas da prova pontuável para a Taça do Mundo, fica, de resto, marcado pela confirmação pela Borgward de lhe estar confiado um volante para a mais importante prova de todo-o-terreno do planeta.

A presença no Alentejo, onde será navegado pelo irmão Manuel, serve, de resto, como preparação para o Dakar de 2020, onde a casa de Estugarda se prepara para competir com a mesma dupla de pilotos.

“Estamos muito felizes com a equipa que formámos para o Dakar. Temos uma combinação que nos faz sentir confortáveis. Um carro confiável e excelentes pilotos, que têm muita experiência e são capazes de competir com os melhores do mundo”, disse Erik Wevers, proprietário da Wevers Sport, a equipa que prepara os veículos para a Borgward Rally Team e que acaba de obter um sexto lugar, por Nani Roma, no Rali de Marrocos.

Será a segunda presença no Dakar de Ricardo Porém, múltiplo campeão nacional de todo-o-terreno, mas a primeira na competição automóvel. Estreou-se na edição deste ano, disputada integralmente no Perú, com o 11.º lugar à geral na categoria SxS, um tipo de veículo que deriva dos tradicionais buggies.

O ano de 2020 marca um terceiro capítulo no Dakar. Depois de África e América do Sul, a prova será disputada na Ásia, mais concretamente na Arábia Saudita, onde ficará nos próximos cinco anos. Serão 9 mil quilómetros de prova, disputados entre 5 e 17 de Janeiro.

Ricardo Porém lá estará ao serviço da Borgward, marca que no final da década de 1950 era a terceira maior montadora alemã, vendia mais de um milhão de carros por ano e liderava o mercado germânico no segmento premium.

Relançada em 2015, a marca sediada em Estugarda segue os mesmos princípios de então, posicionando-se no mercado pelo “design elegante e dinâmico, qualidade de engenharia alemã e inovação técnica, com um forte foco em conectividade e futuros sistemas de propulsão”.

EVENTOS