Desporto

Pelota basca: basta uma parede, uma bola e vontade de aprender

4 set 2016 00:00

Emigrante português em Toulouse trouxe a modalidade para a União Desportiva de Ourém. Os primeiros passos estão a ser dados.

pelota-basca-basta-uma-parede-uma-bola-e-vontade-de-aprender-4938

Já ouviu falar da pelota basca? E sabia que na região a modalidade está à procura de praticantes, com o objectivo de crescer e tornar-se conhecida dos portugueses?

Este desporto com origem no País Basco, está a aparecer na recém-criada União Desportiva de Ourém (UDO) pela mão de Nélson Saraiva, emigrante natural deste concelho e residente no sudoeste de França.

A colectividade, inclusivamente, já participou no Campeonato da Europa de Clubes de pelota basca, que decorreu em Biarritz, cidade do País Basco francês.

“O luso-descendente Nelson Saraiva lançou-nos o repto: se estávamos interessados em divulgar a modalidade e realizar algumas actividades. Em França, é praticante regular de pelota basca e pretende introduzir o desporto em Ourém. Aceitámos o desafio, mas ainda está tudo numa fase embrionária”, revela o presidente da UDO, João Nuno Oliveira.

Nélson Saraiva é co-fundador e presidente da Associação Portuguesa de Pelota Basca. Juntamente com a vice-presidente, Sandra Simão, praticante luso-descendente originária do distrito da Guarda, criou a associação com o objectivo de “desenvolver este desporto em Portugal, e representar Portugal nos eventos internacionais da modalidade”.

Praticante desde 1986, Nelson Saraiva afirma que no sudoeste de França esta é uma modalidade muito famosa. “Em Portugal começa-se a ter alguns jogadores para fazer campeonatos”, informa o dirigente, revelando que no dia 23 de Julho aconteceu na Moita a primeira edição do Campeonato Nacional na modalidade de frontball, no qual participou a UDO, tendo ganhado a medalha de ouro na categoria destinada a crianças nascidas entre 2002 e 2005 e a medalha de bronze na prova derstinada a maiores de 18 anos.

Além do clube de Ourém e da cidade da Moita, também Almada e Lisboa já lhe abriu as portas e numa parceria com a Câmara da capital, a pelota basca esteve presente nas edições 2015 e 2016 das Olisipíadas, onde várias pessoas puderam experimentar esta modalidade.

“Através da UDO vamos avançando aos poucos na divulgação da pelota basca”, salienta Nélson Saraiva, que gostava de ver a pelota basca entrar no desporto escolar em Portugal.

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.

EVENTOS