Sociedade

Observatório do Pinhal do Rei sugere medidas ao governo para reflorestar Mata Nacional de Leiria

22 jan 2019 00:00

Observatório do Pinhal do Rei sugere adopção de modelo de silvicultura preventiva

observatorio-do-pinhal-do-rei-sugere-medidas-ao-governo-para-reflorestar-mata-nacional-de-leiria-9749

 O Observatório do Pinhal do Rei, criado após o incêndio na Mata Nacional de Leiria em 2017, enviou um conjunto de recomendações ao Governo, sugerindo a adopção de um modelo de silvicultura preventiva na reflorestação do pinhal.

"A implementação de um modelo de silvicultura preventiva e a necessária alocação de meios e capacitação dos órgãos responsáveis pela gestão da floresta pública", nomeadamente do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), "para garantir a adequada gestão florestal da Mata Nacional de Leiria", foi uma das propostas apresentadas, divulgadas hoje pela Câmara da Marinha Grande.

Numa nota de imprensa, a autarquia revela ainda que o Observatório do Pinhal do Rei alerta ainda para a "necessidade de abordar o tema das invasoras lenhosas, tão importante e fulcral para a recuperação das áreas ardidas" e a "reflorestação com recurso às espécies que sempre foram dominantes neste espaço, embora se reconheça a necessidade de introdução de outras espécies arbóreas que aumentem a biodiversidade e diminuam a propagação de incêndios".

O documento enviado na passada semana ao primeiro-ministro António Costa, ao ministro da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, Capoulas Santos, ao secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Miguel João de Freitas, e ao presidente do ICNF, Rogério Rodrigues, propõe ainda a inclusão "preferencial de sobreiro, em puro ou consociado com pinheiro-manso ou bravo e outras folhosas para as zonas envolventes às áreas edificadas".

A existência de linhas de financiamento pelo ICNF para "promoção de redes de monitorização de vários grupos florísticos, faunísticos e de habitats para levar a cabo os estudos e experiências necessárias para uma gestão eficiente da mata" e a "adopção de sistemas de monitorização para a Mata Nacional de Leiria" são outras sugestões.

Modelos de sensibilização e informação públicas, assim como a gestão participada das Matas Litorais são ainda defendidas como elementos essenciais para o futuro destes espaços florestais multifuncionais.

O Observatório do Pinhal do Rei foi criado há um ano na sequência do incêndio de Outubro de 2017 e produziu agora um parecer sobre o Relatório do Programa de Recuperação das Matas Litorais da autoria da Comissão Científica.

A presidente da Câmara da Marinha Grande, Cidália Ferreira, citada na nota de imprensa, refere que a "tragédia do incêndio de 2017 e a vontade de múltiplas entidades da comunidade académica e científica juntaram este grupo altamente competente", em que teve a "honra de colaborar".

"Este parecer do Observatório é fruto de muita discussão teórica e pensamento prático. Quero, em nome do município e de forma pública, agradecer aos membros do Observatório Pinhal do Rei, à Comissão Científica e a todos os intervenientes neste processo", concluiu.

#SEMFOMENAREGIÃO

Junte-se a uma grande causa

Ao assinar o Jornal de Leiria durante o mês de Maio, está a contribuir com 10€ para o combate à fome na nossa região.

Uma iniciativa com o apoio Makro

Saiba mais aqui.