Desporto

Mesmo sem risco “adicional” PSP reforça dispositivo policial

29 mar 2016 00:00

Portugal-Bélgica joga-se esta noite no Estádio de Leiria

mesmo-sem-risco-adicional-psp-reforca-dispositivo-policial-3542

A PSP reforçou o normal dispositivo de segurança para o jogo entre as selecções de Portugal e Bélgica, que se realiza hoje, pelas 19h45 no Estádio Magalhães Pessoa, em Leiria.

“Atendendo a que é expectável uma elevada afluência de espectadores e porque o processo de controlo e admissão ao estádio será particularmente reforçado, pedimos a todos os adeptos que procurem chegar o mais cedo possível e evitem transportar consigo mochilas, sacos ou outros objectos que, pela sua dimensão e conteúdo possam atrasar os processos de revista preventiva para o acesso ao estádio”, alerta em comunicado.

A PSP garante ainda que “não existe qualquer risco adicional identificado para este evento e que as medidas implementadas são apenas preventivas”, tendo em conta o “período que atravessamos, sendo intenção assegurar que todo o espectáculo desportivo decorra dentro da maior tranquilidade e normalidade”.

O jogo Portugal-Bélgica estava inicialmente marcado para Bruxelas, mas acabou por ser transferido para o Estádio Municipal de Leiria devido aos atentados da semana passada, reivindicados pelo autodenominado Estado Islâmico e que causaram mais de três dezenas de mortos.

Será a primeira vez que a selecção belga vai actuar depois dos incidentes de Bruxelas, num jogo em que devem estar presentes o Presidente de República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa.

Na conferência de imprensa de antevisão do encontro, o seleccionador belga, Marc Wilmots, adiantou que o país “está chocado” com os atentados, mas prometeu uma equipa “a jogar o máximo para fazer um grande jogo com Portugal".

O seleccionador acrescentou que a Bélgica está "em choque emocional" devido aos ataques que provocaram pelos 35 mortos e 340 feridos, segundo o balanço mais recente. "Morreram pessoas que nada têm a ver com a situação, no nosso aeroporto, no nosso país. Impressionou-nos muito. Mas a vida continua. Vamos olhar em frente, não vamos desistir. Esta é a mensagem mais importante", sublinhou.

O médio Axel Witsel, actualmente ao serviço do Zenit depois de ter representado o Benfica, lamentou o facto do jogo entre as duas selecções não ser disputado em Bruxelas. "O que se passou lá foi muito difícil... Queríamos jogar lá, mas não é possível. Vamos tentar fazer um bom jogo para representar condignamente o nosso país. Foi muito chocante. Temos de estar muito unidos e ter muita coragem", disse.

Jornal de Leiria/Agência Lusa

EVENTOS