Economia

Apoio ao teletrabalho no Interior era "o impulso que faltava"

22 jun 2020 11:26

O Governo criou um apoio à contratação em regime de teletrabalho para as empresas do Litoral que criem postos de trabalho no Interior. Medida gera entusiasmo no Norte do distrito de Leiria

apoio-ao-teletrabalho-no-interior-era-o-impulso-que-faltava
Mais segurança para os filhos é um dos benefícios apontados por quem gostaria de trabalhar a partir do Interior
Ricardo Graça
Daniela Franco Sousa

A pandemia forçou uma mudança nas rotinas laborais com a necessidade de manter muitos portugueses em teletrabalho. O Governo já perspectivou que o trabalho à distância pode ter vários benefícios, entre os quais contribuir para o povoamento das regiões do Interior, e acaba de criar uma medida que pretende apoiar empresas do Litoral dispostas a gerar emprego, através de teletrabalho, precisamente nas regiões do Interior do País.

Ouvidos pelo JORNAL DE LEIRIA, residentes e autarcas do Norte do distrito de Leiria reconheceram que este pode ser o incentivo que faltava para gerar dinâmica nos seus concelhos.

Rosa Duarte, de 39 anos, e o marido, Carlos Valente, de 40, deixaram Ansião há cerca de dez anos em busca de realização profissioal em Lisboa. No início de Maio, a professora e o informático decidiram regressar às origens para, uma vez confiados, poderem continuar a trabalhar, em regime de teletrabalho, ao mesmo tempo que proporcionavam à filha, de dois anos, mais seg urança e espaço para brincar. Podendo aproveitar “o apoio da família também residente em Ansião, e garantir à criança um crescimento “mais livre”, o casal aceitariade bom grado transferir-se para o Norte do distrito, onde pudesse continuar a sua actividade, em teletrabalho, ao mesmo tempo que iria beneficiar de serviços e de equipamentos a custo bastante inferior àquele que é praticado na capital. A começar pelo infantário, exemplifica Rosa Duarte.

A pensar em casais como Rosa e Carlos, e inserido no seu Programa de Estabilização Económica e Social, o Governo criou um apoio à contratação em regime de teletrabalho, no âmbito do já existente programa+ CO3SO Emprego . Segundo o documento, publicado em Diário da República no passad o dia 6 , o Governo define umvalor demetade de um IAS - Indexante de Apoios Sociais (438,8 euros) para as empresas do Litoral que criem postos de trabalho no Interior, mas desde que seja em teletrabalho. Um apoio que pode durar 36 meses.

A medida tem um orçamento de 20 milhões de euros. Esta estratégia tem como destinatários os funcionários públicos. Recorde-se que o Governo já tinha fixado que, até ao final da legislatura, pretendia ter em teletrabalho pelo menos 25 % dos trabalhadores, de entre o universo daqueles que exercem funções compatíveis com esta modalidade de trabalho. Funcionários públicos, mas não só.

O Governo também pretende apoiar a criação de espaços de coworking, e para isso orçamentou cerca de 4,4 milhões de euros. O Executivo entende que “a implementação destes espaços tenha elevado potencial de captação dos novos nómadas digitais e de millennials, entre outros”. Célia Marques é presidente do Município de Alvaiázere, onde, no passado sábado, foi inaugurada uma segunda incubadora de empresas, que vem gerar mais de 50 postos de trabalho (ver caixa).

Ao nosso jornal, a autarca diz que estas medidas do Governo podem ser “o impulso que faltava”, na medida em queas Câmaras do Norte do distrito de Leiria “já fizeram tudo o que estava ao seu alcance” para incentivar o povoamento destes concelhos, para atrair empresas e melhorar a qualidade de vida dos munícipes. O transporte gratuito dos alunos de Alvaiázere, desde o pré-escolar ao primeiro ciclo, é um desses incentivos, exemplifica a autarca.

Mas a estes apoios, aponta a presidente, tem de ser adicionada uma intervenção estatal, j

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Se efectivar a sua assinatura durante o mês de Maio, 10€ reverterão para o combate à fome na nossa região.