Opinião

O mês da mulher

19 mar 2017 00:00
mariana-lopes
Mariana Lopes

No dicionário, feminismo é por definição o movimento ideológico que preconiza a ampliação legal dos direitos civis e políticos da mulher ou a igualdade dos direitos dela aos do homem.

Existem vários pontos a reter desta muito sucinta explicação: em primeiro lugar o uso deliberado da palavra ampliação e em segundo a palavra igualdade.

Se ampliação significa expansão, e se essa expansão se faz rumo à igualdade, tal significa muito linearmente que há um lato desnível de privilégios e que separam um sexo do outro.

O feminismo não é uma questão de ódio, nem é uma questão de supremacia. É no entanto (no mínimo) curiosa a forma como se sente um impulso para explicar detalhadamente o conceito de feminismo antes de se falar dele, porque deus nos livre que ele defenda a hegemonia e vantagem do sexo feminino perante o masculino.

O mesmo não acontece ao falar de machismo (esse sim defensor da superioridade masculina). Ninguém pestaneja, ninguém questiona, ninguém esmiúça. Fico aflita e desnorteada quando as pessoas não entendem a necessidade de defender os direitos das mulheres, de modo a que haja um equilíbrio acertado.

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.