Opinião

Música | Beastie Boys Story 

10 mai 2020 20:00

Era um dos documentários mais aguardados dos últimos tempos e acabou de estrear na semana passada no serviço de streaming da Apple TV.

E tem entrada directa e imediata para o Olimpo dos documentários musicais.

Mike D e Ad-Rock sobem ao palco para contar as aventuras e a vida com Adam Yauch e como os três se fizeram Beastie Boys e foram transformando e revolucionando o mundo da música ao longo de quase 40 anos.

Enquanto avançamos a história é pintada com imagens de arquivo destes três amigos de ascendência judaica que saíram de um bairro nova-iorquino para conquistarem o mundo com a sua fusão do espírito punk com o hip-hop.

Beastie era o acrónimo para “Boys Entering Anarchistic States Towards Inner Excellence” e as bases punk rock começam a dar lugar à aventura no hip-hop e são “descobertos” por Rick Rubin que, num único ano, os coloca a abrir uma digressão de Madonna e a partilhar o palco com os RUN DMC.

Quando, no ano seguinte, em 1986, lançam Licence To ill, que é apresentado por (You Gotta) Fight For Your Right (To Party), tornaram-se imediatamente num culto com milhões de discos vendidos e sucesso planetário.

Nos anos 90 voltam a explodir com ill Comunication e Hello Nasty.

Cresceram como músicos, refinaram o gosto e mantiveram a garra, criaram a editora Grand Royal, assumiram-se activistas e embaixadores de causas, mostraram que é possível crescer e tanto criar obras-primas no hip-hop, como experimentar no universo das composições instrumentais mais jazzísticas, como prova aliás a sua única passagem por Portugal, com dois concertos inacreditáveis em Lisboa, em dois dias seguidos, um a todo o gás no palco do Alive e outro de gala e “instrumental” na Aula Magna.

E se só o facto de estarmos perante uma das mais fascinantes formações da música já valia a pena espreitar a Apple TV, o facto de ser realizado por Spike Jonze arruma definitivamente a questão e torna esta biografia absolutamente obrigatória.

Além de ser o realizador de filmes como Being John Malkovich, Adaptation ou Her, quando elencamos alguns dos videoclips que concebeu temos uma autêntica playlist infalível; ora veja-se: 100%, dos Sonic Youth, Buddy Holly, dos Weezer, Cannonball, das Breeders, Da Funk, dos Daft Punk, It’s Oh So Quiet, da Bjork, Shady Lane, dos Pavement, The Suburbs, dos Arcade Fire, Praise You, The Rockefeller Skank ou Weapon of Choice, de Fatboy Slim, Elektrobank, dos Chemical Brothers, Otis, de Jay Z e Kayne West, Electrolite, dos R.E.M. e obviamente clássicos tão icónicos dos Beastie Boys como Sabotage, Sure Shot.

#SEMFOMENAREGIÃO

Junte-se a uma grande causa

Ao assinar o Jornal de Leiria durante o mês de Maio, está a contribuir com 10€ para o combate à fome na nossa região.

Uma iniciativa com o apoio Makro

Saiba mais aqui.