Opinião

Gama, Livramento e o “meu-portugal-lá fora”

7 set 2018 00:00

Fernando Adrião e António Livramento deslumbravam-nos até à emoção e o entusiasmo era tanto à volta desta modalidade, a única em que incrivelmente conseguíamos ser os melhores do mundo.

 A percepção do que seria o “meu-Portugal-lá-fora” vacilou na sequência do Campeonato Mundial de hóquei em patins de 1974, quando fomos novamente campeões mundiais.

Fernando Adrião e António Livramento deslumbravam-nos até à emoção e o entusiasmo era tanto à volta desta modalidade, a única em que incrivelmente conseguíamos ser os melhores do mundo, que, com a inocência própria da juventude, julgávamos ser falados e conhecidos em todo o mundo e que todo o mundo se rendia à nossa “arte” do hóquei em patins.

Mas foi um duro golpe o que sofri quando vi logo depois no Diário de Notícias a reprodução da notícia saída num jornal francês sobre esta nossa “fantástica vitória”: 14 linhas, escondidas num dos recantos de uma das páginas do desporto!

E a percepção deste “meu-Portugal-lá-fora” vacilou ainda mais, logo a seguir, quando adquiri um livro sobre os grandes navegadores. Essa tradução de uma edição francesa, lembro-me bem, só mencionava um navegador português: Fernão de Magalhães.

Neste caso, a estranheza deu lugar à indignação! Indignação que se tem atenuado, mas que teima em voltar recorrentemente. Que voltou de novo, a semana passada, quando comprei a revista Super Interessante, edição especial História, aliciado pela capa: a imagem de uma nau e o título Grandes Aventureiros.

Lá dentro, passados os Viajantes da Antiguidade, fala-se de Fernão de Magalhães e de Elcano, e de Marco Polo, e de Colombo e mais Colombo e, então aí sim – porque tinha que ser - o “Duelo Ibérico”, e o Tratado de Tordesilhas, e os Reis Católicos e mais Colombo e mais as naus de Colombo e mais Castela e, timidamente então, D. João II e Bartolomeu Dias e Vasco da Gama. Porque tinha que ser...

Busquei a ficha técnica: publicaç&

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO