Viver

Revitalizar zonas históricas de Pombal é com o Oh da Praça!

18 abr 2019 00:00

Festival | As praças, ruas, jardins e largos de Pombal vão encher-se de música, dança e outras manifestações artísticas nos dias 26 e 27 de Abril, com mais uma edição do festival Oh da Praça!

Fast Eddie Nelson
Luís Travasso
Luís Travasso
Luís Travasso
Marufa
Marufa
Marufa
Submarines in the Sky
Submarines in the Sky
Submarines in the Sky
Jacinto Silva Duro

“Queremos abanar a cidade, porque nos dá a sensação de que Pombal, por vezes, adormece", diz Leonel Mendes que, em conjunto com Vasco Faleiro e Carlos Calika, assegura a direcção artística do festival Oh da Praça!, que promete voltar a animar Pombal, nos dias 26 e 27 de Abril. Além de promover animação, o evento elege como missão reanimar e chamar a atenção para zonas do centro histórico da cidade que, embora emblemáticas, deixaram de ser ocupadas pelos habitantes, soprando-lhes vida e animação, com 15 concertos, dança, artesanato e uma arruada pelas ruas. A entrada em todos os eventos é gratuita.

"As gerações mais novas não sabem o que é 'viver a cidade'; estão distraídas com telemóveis e redes sociais e esquecem o convívio entre pessoas e, lugares importantes na cidade, além disso, Pombal, para viver, precisa de mais do que indústria, serviços e bares e mais bares. Precisa de uma dinâmica e de voltar a ser vivida", afirma Mendes, que também é músico e dá corpo ao alter-ego Rapaz Improvisado, para explicar que a organização pretende que este seja um evento com cariz experimental, que “mete o dedo na ferida e abre portas e ocupa espaços que estão aparentemente abandonados”, acordando a cidade da modorra em que vive boa parte do ano. "Voltaremos ao Celeiro do Marquês, usaremos o Largo 5 de Outubro - uma praça que é importante dinamizar -, e iremos ao Jardim da Várzea, que já foi um espaço muito importante em Pombal e que agora está abandonado. A intervenção artística deste tipo faz com que as pessoas se aproximem de zonas que estão despovoadas”, acredita.

Programa Oh da Praça!
DIA 26
21:30 horas

Celeiro do Marquês
Escola de Dança Adriana Jaulino;
Coro Juvenil da Misericórdia de Pombal;
Luís Travassos;
Arriscados dj set;
Exposição de Fotografia por André Malheiro;
Artesanato.

DIA 27
14 horas

Ruas de Pombal
Filarmónica Artística Pombalense;

Praça Faria da Gama
14:30 horas
Escola de música Musicool;

Largo 5 de Outubro (Pelourinho)
15:10 horas A Dama Estor; Eyze.

Jardim da Várzea
16:30 horas
Submarines in the Sky;
Toothless.

Jardim do Cardal
17:45 horas
Escola de Dança ART Movement;
Colton Benjamin;
Mezcla

21:45 horas
Escola de Dança Fabrikarts;
Issa Bella;
Marufa; Daniel Catarino;
Fast Eddie Nelson;
Araponga.

Coreto do Jardim do Cardal
15 horas
Exposição de Fotografia em Colódio Húmido e sessão fotográfica com Telmo Mendes Artesanato

Este ano, o festival, que está inserido nas comemorações do 25 de Abril, abrirá ao desfrute da população o esquecido Jardim da Várzea, enquanto palco de fruição cultural e transformará o Jardim do Cardal e o seu coreto emblemático no centro nevrálgico do evento.

Com dois dias, mais um do que na primeira edição, e novos espaços e palcos, a música continua a estar no olho do furacão que é o Oh da Praça!, reservando um carinho especial para projectos emergentes ou com menor visibilidade, mas haverá ainda artesanato e espaço para a dança, com a presença de três estabelecimentos locais de ensino artístico - Frabricarts, Escola de Dança Adriana Jaulino e da Art Movement -, uma vez que, no dia 29 de Abril, se celebra o Dia Mundial da Dança. "As escolas irão inaugurar os palcos antes da entrada das bandas e iremos ter também duas exposições de fotografia", sublinha Pedro Pimpão, presidente da Junta de Freguesia de Pombal, autarquia que partilha a responsabilidade na organização do evento.

O festival troca o Celeiro do Marquês, onde decorreu no ano passado o grosso da programaç&atild

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO