Sociedade

Quercus exige fim dos contratos de prospecção de gás

21 nov 2019 10:50

Assembleia de Freguesia da Bajouca convoca população para definir acções de protesto.

quercus-exige-fim-dos-contratos-de-prospeccao-de-gas
População da Bajouca têm-se oposto à prospecção de gás na freguesia
Ricardo Graça

A associação ambientalista Quercus pede ao Governo que ponha termo aos dois contratos de prospecção de gás para a zona da Bajouca (Leiria) e de Aljubarrota (Alcobaça). A posição da organização é expressa num comunicado, onde se considera “um completo contra-senso” o Governo permitir que este tipo de exploração de hidrocarbonetos, “com forte impacto no ambiente”, avance.

“Permitir a continuidade destes dois projectos, não só irá contra as políticas ambientais definidas pela União Europeia, bem como será uma contradição sem precedentes entre o que o Governo de Portugal diz, e o que o Governo de Portugal faz”, pode ler-se naquela nota de imprensa, onde a Quercus defende que o fim dos referidos contratos de prospecção “é um imperativo não só nacional, mas também europeu e mundial”.

Apesar destes contratos, “não serem responsabilidade directa da acção deste Governo”, a Quercus entende que cabe ao actual executivo “seguir um caminho de sustentabilidade ambiental, não se devendo, sob nenhum pretexto, demitir da responsabilidade de corrigir um erro do passado”.

Além de “todos os riscos e impactes ambientais avultados que uma exploração de gás natural como as que estão em estudo para os concelhos de Alcobaça e Leiria acarretam”, a Quercus alega ainda que a decisão de não financiamento por parte da União Europeia deste tipo projectos “vem dizer claramente que estes dois projectos não têm sustentabilidade ambiental nem financeira futura, e como tal não devem avançar”.

Assembleia de Freguesia extraordinária na Bajouca

Para esta sexta-feira, dia 22, está marcada uma sessão extraordinária da Assembleia de Freguesia da Bajouca, para definir estratégias de luta contra a prospecção de gás na localidade. “Face ao desenrolar do processo desencadeado pela Australis, no sentido de desenvolver trabalhos de prospecção de hidrocarbonetos na nossa freguesia, chegou o momento de agir”, pode ler-se na convocatória da sessão, que decorrerá no salão paroquial, a partir das 21 horas.

O objectivo da reunião é definir medidas de acção para “demonstrar à Australis e a todas as entidades com poder de decisão nesta matéria que a população da Bajouca não aceita e não permitirá a prospecção e muito menos a exploração de gás ou de qualquer outro combustível fóssil na nossa freguesia”, acrescenta o documento.

Entretanto, a Câmara de Leiria solicitou um parecer científico sobre a prospecção de hidrocarbonetos na Bajouca. No âmbito da elaboração desse estudo, deslocaram-se recentemente à freguesia dois investigadores portugueses na área do ambiente: Júlia Seixas, professora da Universidade Nova de Lisboa, onde dirige o Departamento de Ciências e Engenharia do Ambiente, e Francisco Ferreira, presidente da associação ambientalista Zero. Com esta estratégia, “o Município de Leiria dá mais um passo no sentido de fundamentar a sua posição de defesa dos interesses da população da Bajouca e freguesias vizinhas, que se têm manifestado frontalmente contra qualquer actividade relacionada com prospecção ou exploração de hidrocarbonetos”, refere uma nota de imprensa da Câmara.

EVENTOS