Sociedade

PSD de Leiria propõe Mobilis gratuito e com reforço de oferta

18 nov 2019 15:08

Vereadores sociais-democratas querem receitas do estacionamento pago e do Imposto Único de Circulação (IUC) a financiar Mobilis.

psd-de-leiria-propoe-mobilis-gratuito-e-com-reforco-de-oferta
No ano passado, Mobilis transportou mais de um milhão de passageiros
Ricardo Graça

Os vereadores do PSD na Câmara de Leiria defendem que o serviço Mobilis seja “totalmente gratuito para os residentes no concelho”, prestado por veículos eléctricos e/ou a hidrogénio e com alargamento da oferta. 


Para garantir a “sustentabilidade” das medidas propostas, os sociais-democratas propõem que parte das receitas arrecadadas pelo Município através do Imposto Único de Circulação (IUC) e do estacionamento pago sejam canalizadas para o financiamento da rede Mobilis.


As propostas do PSD surgem num momento em que se aproxima o fim do “Contrato de concessão do serviço público de transportes colectivos urbanos na área da sede de concelho”, celebrado em 1966 e que vigora “até 30 de Novembro de 2019. No entender dos sociais-democratas, o próximo caderno de encargos deve assentar em três eixos: “gratuitidade” do Mobilis, “qualidade” do serviço e “mobilidade sustentável”. 


“Considerando os custos de operacionalização da rede Mobilis (em 2018 na ordem dos 1,2 M€) e da receita de bilheteira (855 000€ em 2018)”, o financiamento desta medida “estará assegurado com a receita do IUC [3.851.633 euros no último ano], bem como das receitas de publicidade nos veículos e do estacionamento pago (em 2018 na ordem dos 450 000€)”, alegam os sociais-democratas. 


Em comunicado, os eleitos do PSD frisam ainda que “não basta a gratuitidade do serviço de transportes públicos para incentivar a não utilização do transporte individual”, mas que “é preciso também oferecer serviços de qualidade”. Para tal, defendem o reforço do Mobilis, “através do aumento de veículos afectos à rede” e da “reestruturação das linhas, com o aumento da frequência de passagens, do número de paragens e quilómetros de rede”. Os vereadores da oposição consideram ainda que “devem ser criadas condições para que haja a indicação dos tempos de espera, em tempo real, seja nas paragens como em apps”.


Naquela nota de imprensa, os sociais-democratas defendem ainda que o Município deve “alterar também a política de estacionamento na cidade”, criando parques de estacionamento na periferia da malha urbana, nomeadamente nas Olhalvas, Nova Leiria e zona de Porto Moniz, “servidos por uma rede de transportes eficiente, de qualidade e interligada com outros meios de transporte”. 

EVENTOS