Sociedade

PNSAC exibe raridades da fauna e da flora em Portugal

3 mai 2019 00:00

Área protegida, que este sábado comemora 40 anos, tem um quinto das espécies de plantas que ocorrem no País.

ophrys-fusca
ophrys-fusca
ophrys-fusca
Saxifraga cintrana
Saxifraga cintrana
Saxifraga cintrana
morcego-lanuno
morcego-lanuno
morcego-lanuno
inulla montana
inulla montana
inulla montana
gralha-de-bico-vermelho
gralha-de-bico-vermelho
gralha-de-bico-vermelho
Maria Anabela Silva

Nos seus cerca de 39 mil hectares, o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros (PNSAC) alberga cerca de 740 espécies vegetais (570 de plantas vasculares e 170 briófitos – pequenas plantas sem flor nem semente) conhecidas até hoje.

Ao nível da fauna, estão também já inventariadas 245 espécies de animais (169 aves, 45 mamíferos, 19 repteis e 12 anfíbios”. Entre estas espécies, cerca de sete dezenas encontram- se abrangidas por estatutos de protecção e conservação, dada a sua raridade e vulnerabilidade.

Na área da flora, o PNSAC oferece a possibilidade de observar perto de “um quinto das espécies de plantas que ocorrem no País”, refere o site do Instituto de Conservação da Natureza e das Floresta (ICNF), que classifica como “absolutamente notável” o elenco florístico desta área protegida dada a presença de “inúmeras espécies raras e/ou ameaçadas”.

A Inula montana é um desses exemplos. Presentemente, e de acordo com a directiva habitats, a ocorrência da espécie em Portugal acontece “apenas nas zonas mais altas do PNSAC”. A Arabis sadina e a Saxifraga cintrana são outras plantas raras em Portugal que habitam no PNSAC. A primeira está classificada como “vulnerável”, encontrando-se em “estado moderado de conservação”. A segunda, é endémica de Portugal e ocorre apenas nas serras de Aire e Candeeiros e nas serras de Sintra e Montejunto.

 

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO