Sociedade

Pai e madrasta suspeitos da morte de criança em Peniche vão prestar depoimento no Tribunal de Leiria

12 mai 2020 14:39

Medidas de coação só serão conhecidas esta quarta-feira

pai-e-madrasta-suspeitos-da-morte-de-crianca-em-peniche-vao-prestar-depoimento-no-tribunal-de-leiria
A madrasta da criança chegou ao Tribunal de Leiria acompanhada por inspectores da PJ.
Ricardo Graça

O pai e a madrasta suspeitos da morte da menina de 9 anos em Atouguia da Baleia, no concelho de Peniche, vão prestar depoimento ao juiz de instrução criminal do Tribunal de Leiria, pelo que as medidas de coacção só serão conhecidas amanhã, quarta-feira, pelas 12 horas.

Num curto comunicado lido por uma funcionária judicial, o juiz de instrução referiu que “em face do exercício de direito a serem ouvidos, que os arguidos já manifestaram, a decisão sobre as medidas de coação será comunicada amanhã pelas 12:00”.

 Os suspeitos foram identificados durante a manhã e depois da pausa para o almoço vão começar a ser ouvidos pelo juiz de instrução separadamente.

 O pai e a madrasta da menina de 9 anos, suspeitos da sua morte, chegaram pelas 10:41 ao Tribunal de Leiria, tendo à sua espera cerca de 40 pessoas que os vaiaram.

Nas traseiras do tribunal estavam cerca de 40 pessoas, que não se cansaram de lhes chamar “assassinos”, tendo a polícia tentado evitar que os populares se aproximassem dos suspeitos.

A criança foi dada como desaparecida na quinta-feira de manhã, depois de uma denúncia do pai no posto da GNR de Peniche. As buscas contaram com o envolvimento de “mais de 600 elementos activos, numa área percorrida de sensivelmente quase quatro mil hectares, palmilhada mais do que uma vez em alguns locais”, referiu o comandante da GNR de Caldas da Rainha, Diogo Morgado, numa conferência de imprensa, no domingo.

Depois de cerca de três dias de buscas, a PJ de Leiria deteve, no domingo, o pai e a madrasta da vítima, cujo corpo foi encontrado numa mata na Serra D’el Rei, no concelho de Peniche, distrito de Leiria, coberto por arbustos.

O resultado preliminar da autópsia à criança aponta para uma morte violenta, com lesões na cabeça e indícios de asfixia.

Embora haja indícios de asfixia, a criança de 9 anos terá sofrido agressões em vários locais, o que lhe causou diversas lesões, incluindo na cabeça, segundo fonte policial.

Se alguma destas agressões resultou na morte ou as duas situações em simultâneo ainda não é conhecido, uma vez que as causas da morte só serão confirmadas depois de exames laboratoriais.

Este ainda não é o relatório final da autópsia, mas apenas um exame preliminar. 

#SEMFOMENAREGIÃO

Junte-se a uma grande causa

Ao assinar o Jornal de Leiria durante o mês de Maio, está a contribuir com 10€ para o combate à fome na nossa região.

Uma iniciativa com o apoio Makro

Saiba mais aqui.