Economia

Negócio do kiwi incentiva novos pomares e agricultores em Pombal

13 out 2017 00:00

Está a crescer a área instalada e o número de kiwicultores, que beneficiam de apoios públicos.

negocio-do-kiwi-incentiva-novos-pomares-e-agricultores-em-pombal-7297

Os apoios públicos à instalação de pomares, mas, sobretudo, a garantia de escoamento da colheita, têm funcionado como incentivo ao investimento. Somada a área instalada com a área a instalar em novos projectos, Pombal fica entre os concelhos da região centro com mais hectares dedicados ao kiwi. Quem o diz é o director regional adjunto de Agricultura e Pescas. Sidónio Santos acredita que, com o número de kiwicultores a crescer, é hora de organizar a produção e apostar em estruturas partilhadas.

No concelho de Pombal, a área de produção de kiwi instalada ronda os 50 hectares. Mas há outros 35 hectares em instalação. Dados da Direcção Regional de Agricultura e Pescas do Centro (DRAPC). Um crescimento de 70%. Há aproximadamente 20 produtores no activo, dos quais 13 são jovens agricultores que receberam prémios do Estado à primeira instalação no valor de 450 mil euros.

Para o director regional adjunto do Ministério da Agricultura, "a dimensão crítica que existe" significa que "há margem para organizar a produção e depois tentar viabilizar alguma estrutura colectiva que diminua os custos" da actividade. Sidónio Santos considera que, além de partilharem conhecimentos e meios técnicos, os produtores iriam ganhar força negocial. No fundo, replicar o modelo que funciona na fileira do ovo, com inovação. Outra oportunidade está relacionada com a presença no concelho de empresas da agroindústria que utilizam a fruta como matéria-prima – é o caso da Sumol+Compal e da Indumape. Também o segmento da terceira e quarta gama (fruta descascada e fatiada para nichos de mercado) representa potencial de negócio a explorar pelos kiwicultores, afirma o responsável da DRAPC. Na campanha para as eleições autárquicas, em que foi candidato à Câmara de Pombal pelo CDS-PP, Sidónio Santos chegou mesmo a sugerir a criação de uma plataforma de distribuição em Pombal, para baixar os custos suportados pelos produtores do concelho, que actualmente entregam a produção na Kiwicoop, em Oliveira do Bairro.

A cultura do kiwi "é a que tem mais crescimento no concelho de Pombal nos últimos anos", segundo Sidónio Santos. "Há mercado, estamos a falar de uma cultura que tem alguma resistência e as condições climatéricas de Pombal são adequadas", explica, salientando, também, o escoamento assegurado da produção, o aproveitamento de fundos públicos e os apoios à instalação de novos agricultores.

Portugal exporta 10 milhões. De acordo com dados divulgados pela Associação Portuguesa de Horticultura, que organizou em Setembro o nono Simpósio Internacional do Kiwi, no Porto, nos últimos dois anos aumentou em 500 hectares a área de pomares de kiwi em Portugal, um crescimento de 22%. Nos 2.800 hectares actualmente instalados, a produção ronda as 28 mil toneladas, das quais 15 mil – aproximadamente 53% – são exportadas para Espanha, Brasil, Marrocos e Reino Unido. O valor das exportações portuguesas de kiwi ascende a 10 milhões de euros por ano.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO