Sociedade

Ensino profissional pode ser um trampolim para a universidade

17 mai 2018 00:00

Alunos escolhem cursos profissionais mesmo tendo como objectivo a entrada no ensino superior

ensino-profissional-pode-ser-um-trampolim-para-a-universidade-8679

Nos cursos científico-humanísticos os alunos são preparados para o ingresso no superior. No profissional, o principal objectivo é a entrada no mercado de trabalho.

No entanto, isso não significa que os estudantes que optam pelo ensino profissional não queiram seguir para o superior.

“Tenho-me apercebido que há cada vez mais alunos que, ao chegar ao último ano do curso, pretendem continuar os estudos. Saber que no início não tinham vontade, mas que ao chegar ao final do ciclo colocam essa hipótese, é muito gratificante”, conta Manuela Silva, professora na área de integração aos cursos profissionais na Escola Secundária Calazans Duarte, na Marinha Grande.

Há alunos que procuram ajuda em explicações para conseguirem fazer os exames de ingresso ao ensino superior. “Fazem um trabalho mais autónomo porque sentem que alguns conteúdos não são tão trabalhados”, afirma Manuela Silva, sublinhando que nos cursos profissionais a carga horária é inferior relativamente aos científico-humanísticos.

Sofia Ferreira, psicóloga na Escola Profissional de Ourém e na Escola de Hotelaria de Fátima, reconhece que os alunos “só têm vantagens por terem frequentado um curso profissional”. “Os que prosseguem para licenciaturas têm um trabalho de preparação para os exames, também apoiado por nós, e conseguem bons resultados”,explica.

E se, por um lado, há alunos que só durante ou no final do curso decidem que querem continuar os estudos, também há aqueles que, quando optam pelo ensino profissional, já têm essa ambição. Quem o diz é Luís Simões, psicólogo no Agrupamento de Escolas da Batalha. Os alunos fazem esta escolha porque consideram que num curso profissional podem ter um ensino “mais específico e mais prático”, explica.

“Eles sabem que podem continuar, têm é de estudar mais para os exames e acho isso extraordinário.”

No entanto, uma vez que no ensino profissional o principal objectivo é preparar os alunos para o mercado de trabalho, é desenvolvido outro tipo de aptidões.

“Conceder um conjunto de tarefas diversificadas e que atendam às especificidades” de cada aluno é o maior desafio para a professora Manuela Silva, que procura fomentar nos alunos  

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO