Login
Esqueci a password

Se esqueceu o seu Username ou a sua Password envie-nos o seu e-mail e receberá os seus dados de acesso por e-mail.

Se não sabe que endereço de e-mail utilizou no seu registo, por favor contacte os nossos serviços através do nosso e-mail assinantes@jornaldeleiria.pt.

Para procurar palavras exactas utilize aspas. Ex: "Castelo de Leiria" "Jornal de Leiria"
Área restrita

A secção que pretende aceder é restrita a assinantes do Jornal de Leiria. Para se tornar assinante vá à área Assinatura.

Se já for assinante da edição impressa, pode registar-se na edição online, sem custos adicionais.

Caso já tenha um registo, efectue login.

Do Alqueidão da Serra para os laboratórios da NASA, a viagem de um engenheiro especial
Nelson Vieira de Carvalho trabalha no centro NASA Langley

Sociedade

06 Dezembro 2016

Do Alqueidão da Serra para os laboratórios da NASA, a viagem de um engenheiro especial

Equipa de Nelson Vieira de Carvalho dá suporte às missões americanas.

Newport News, Virginia. É nesta cidade da região de Hampton Roads que Nelson Vieira de Carvalho se entrega todos os dias a um emprego de sonho: desenvolver métodos numéricos e modelos físicos para a agência espacial americana. Essa mesmo que estão a pensar, a NASA.

O que acontece na Langley Boulevard, onde se encontra o NASA Langley Research Center, nem sempre fica na Langley Boulevard – muitas vezes o trabalho iniciado pela equipa de Nelson Vieira de Carvalho só acaba nas missões enviadas para explorar os segredos do universo.

A contribuição do português com raízes no concelho de Porto de Mós, consiste em perceber, investigar, caracterizar e simular o comportamento e tolerância ao dano de novos materiais e estruturas. No fundo, antecipar e resolver os problemas de amanhã.

Após concluir os estudos de mestrado em Engenharia Aeroespacial no Instituto Superior Técnico e na Universidade de Tecnologia de Delft (Holanda), Nelson Vieira de Carvalho trabalhou na transportadora aérea Portugália Airlines até 2008. Nesse ano, mudou-se para Londres, a fim de frequentar o doutoramento em Filosofia, Ciência Aeroespacial e Tecnologia no Imperial College.

Aos Estados Unidos chegou em 2012, depois de um período em Alqueidão da Serra e de se candidatar a uma vaga, por convite do seu actual chefe de equipa – que tinha assistido ao vivo a um seminário proferido pelo investigador português – e recomendação do supervisor de doutoramento. O que o leva a dizer que "o percurso é chave para criar as oportunidades e garantir que estás em posição de as aproveitar", no entanto, "muitas das vezes, as oportunidades mais interessantes são imprevisíveis, tal como foi o caso".

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.

Jornal de Leiria
RedacçãoJornal de Leiria redaccao@jornaldeleiria.pt






Os comentários são da exclusiva responsabilidade do utilizador

Publicações
relacionadas -