Sociedade

Derrocadas na praia de Água de Madeiros assustam moradores

23 mai 2019 00:00

Câmara de Alcobaça espera intervenção da Agência Portuguesa do Ambiente

derrocadas-na-praia-de-agua-de-madeiros-assustam-moradores-10301
Daniela Franco Sousa

As derrocadas nas arribas da praia de Água de Madeiras estão a deixar preocupados os moradores e os autarcas locais, que aguardam, impotentes, pela intervenção da Agência Portuguesa do Ambiente. No passado domingo, a arriba abateu sobre o areal e, afirmam os populares, foi uma sorte não ter atingido ninguém.

“Passei o domingo lá em baixo a pescar com amigos. Ao fim do dia, a arriba abateu”, conta Carlos Amorim ao JORNAL DE LEIRIA, realçando que “só não morre ali gente por sorte”. Pescador há mais de 40 anos, Carlos Amorim conhece muito bem Água de Madeiros. Recorda que há cerca de dois anos foram feitos ali alguns trabalhos para travar a erosão, com a colocação de pedra e cimento. “Mas o mar é que manda e a praia já não tem outra vez areia nenhuma”, constata o pescador.

Mário Rito, que também faz habitualmente pesca em Água de Madeiros, explica que o mar já escavou tanto, que há dias em que a escadaria de acesso à praia não chega ao areal. “Já resultou num acidente. Uma senhora caiu”, relata Mário Rito.

A escassos metros da arriba que ruiu domingo há outra situação de perigo, alerta a população. O edifício do antigo restaurante Gato Preto, que encerrou há cerca de 15 anos, está devoluto e a cair aos pedaços sobre a arriba, contam Graziela Santos e o marido, Vítor Carreira Santos, que têm a sua residência permanente atrás do antigo estabelecimento de restauração.

Com a perda de areal, o acesso à praia é mau, frisa também Vítor Carreira Santos, que já teve de socorrer e de cuidar em sua casa de um turista alemão que caiu nas escadas.

Quem também reconhece a perigosidade do local é Diogo Barradas, que há vários anos faz surf naquela praia. O surfista verifica que a situação se deteriora de ano para ano. “Á medida que o mar leva a areia, as arribas perdem sustentação e caem”, verifica Diogo Barradas.

Moradores e frequentadores de Água de Madeiros sentem que a praia foi “esquecida”, quando tem enorme potencial turístico. Aproveitam a ocasião para criticar o mau estado das estradas que conduzem até à praia e também a recolha de lixo que, defendem, tem deixado a desejar.

Valter Ribeiro, presidente da União de Freguesias de Pataias e Martingança, diz que a única medida que está ao seu alcance é sensibilizar a Câmara Municipal de Alcobaça e a Agência Portuguesa do Ambiente para a perigosidade no local. E é essa sensibilização que diz já ter feito. “Todos os anos a praia sofre os efeitos da erosão. Necessita de uma intervenção diferente”, explica o Valter Ribeiro, para quem os trabalhos realizados no local há dois anos foram insuficientes. Infelizmente, expõe o autarca, a instabilidade das arribas é um problema em várias praias das suas freguesias.

Além de Água de Madeiros, também parte da Pedra do Ouro, Vale Furado e Légua carecem de intervenção, defende Valter Ribeiro.

O presidente da Câmara Municipal de Alcobaça também recenhece que a “força da natureza” originou aquela situação de perigo em Água de Madeiros. E acrescenta

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO