Economia

Carlos Mota afastado dos negócios do Grupo Mota por fundo de private equity

5 out 2017 00:00

Oxy Capital proibiu empresário de aceder às instalações.

carlos-mota-afastado-dos-negocios-do-grupo-mota-por-fundo-de-private-equity-7267

O empresário Carlos Mota, até aqui administrador da Adelino Duarte da Mota e de outras empresas controladas através da Mota Ceramic Solutions, com raízes nas Meirinhas, Pombal, foi destituído dos cargos que desempenhava, afastado dos negócios do Grupo Mota e impedido de entrar nas instalações.

Na origem da decisão, que também afecta Carolina Mota, filha de Carlos Mota, está a Oxy Capital, uma sociedade gestora de fundos de private equity (capital privado) com escritório em Lisboa e Milão, que entrou na Mota Ceramic Solutions em 2013 e detém 50% da holding.

Na versão da Oxy Capital, a destituição com efeitos imediatos de Carlos Mota e Carolina Mota tem como fundamento o conflito de interesses com sociedades concorrentes, que consubstanciam uma actuação contrária aos objectivos do Grupo Mota – actualmente com 370 trabalhadores – e configuram um incumprimento dos deveres fiduciários enquanto administradores e do contrato celebrado com a sociedade gestora de fundos de private equity. Apesar das tentativas do JORNAL DE LEIRIA, não foi possível ouvir Carlos Mota até ao fecho desta edição.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO