Economia

Apps que permitem andar sempre com o negócio no bolso

22 ago 2019 00:00

Há na região inúmeras empresas que se dedicam ao desenvolvimento de software e de aplicações que permitem a outras empresas tornar o seu negócio mais produtivo e mais fácil de gerir

apps-que-permitem-andar-sempre-com-o-negocio-no-bolso-10607
Raquel de Sousa Silva

Perceber se a irrigação está a ser feita nos pontos críticos e de forma homogénea, detectar se a vinha tem pragas e prever a data da colheita são algumas das possibilidades da aplicação (app) que está a ser desenvolvida pela Forging – Green Business Intelligence.

A empresa, que arrancou há poucos meses em Ansião, é uma das muitas da região que se dedicam ao desenvolvimento de software que permite a outras tornarem os seus negócios mais produtivos e mais fáceis de gerir.

Afinal, hoje em dia praticamente todos os produtos desenvolvidos contemplam aplicações que permitem, a partir de um smartphone, ter acesso a informação pertinente e executar tarefas diversas. Em suma, ter o negócio no bolso e geri-lo a partir de qualquer local.

Tendo como objectivo permitir aos utilizadores uma função específica, as apps tanto podem ser uma ferramenta de melhoria de produtividade como um serviço específico de entretenimento. No caso da Forging, os produtos que está a criar estão vocacionados para os sectores agrícola e florestal.

“As várias apps que estamos a desenvolver permitem ter acesso à informação em qualquer local, o que vai reduzir custos operacionais e aumentar a produtividade”, explica Rui Lopes, fundador da empresa de Ansião.

A Forging está, por exemplo, em negociações com a EDP para o desenvolvimento de uma app que vai permitir aceder a indicadores de densidade e humidade de vegetação, possibilitando assim perceber os riscos de incêndio em determinada área e actuar em conformidade, explica Rui Lopes.

Wezoot é o nome de um software de gestão animal desenvolvido pela Digidelta Software que tem como objectivo tornar mais fácil e eficiente a gestão da produção de pequenos e grandes ruminantes.

A partir da app que instala no seu smartphone, o responsável pela produção pode, ainda no campo, e mesmo sem internet, introduzir todos os dados pertinentes, que depois são sincronizadas com a aplicação web, explica Patrícia Santos, directora de marketing da empresa de Leiria.

Poupança de tempo e menos erros são duas das vantagens deste produto, refere. “É um software de design simples, intuitivo e fácil de usar, que permite ao produtor ter sempre consigo dados actualizados, o que ajuda na tomada de decisões”. O Wezoot, desenvolvido em quatro línguas, está a ser vendido em Portugal e no estrangeiro.

Também a Bitcliq criou uma plataforma com várias apps para ligar pescadores e compradores. Trata-se da Lota Digital, que tem uma aplicação específica para os pescadores, outra para os compradores e uma terceira para controlo de qualidade, acessível apenas pela empresa de Caldas da Rainha.

O projecto, que rendeu à Bitcliq a vitória na categoria AgroTech do Concurso Empreendedor XXI, já está em funcionamento em Portugal, numa parceria com a Docapesca, num piloto no porto de Peniche.

A plataforma digital da Bitcliq “liga os barcos de pesca aderentes a todos os potenciais compradores, permitindo a realização da primeira venda de pescado implementando rastreabilidade Blockchain, do mar até ao prato do consumidor”.

Pedro Manuel, CEO da empresa, revela que a tecnologia também já está a ser usada no Peru, onde um parceiro está a aplicá-la no desenvolimento do seu negócio.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO