Sociedade

António Sales e Catarina Castro escolhidos para secretários de Estado (em actualização)

21 out 2019 00:00

Com a saída do médico para o Governo, o lugar de deputado para o qual foi eleito será ocupado por Sara Velez.

Foto: Presidência da República/Arquivo
Foto: Ricardo Graça
Foto: Ricardo Graça
Foto: Ricardo Graça
Jacinto Silva Duro

Médico ortopedista, António Sales vai integrar o novo Governo de António Costa, fazendo parte da lista de secretários de Estado que acaba de ser divulgada.

O clínico de Leiria é o nome escolhido para secretário de Estado da Saúde, integrando a equipa de Marta Temido, reconduzida como ministra da Saúde.

Nos últimos quatro anos, António Sales, de 57 anos, desempenhou as funções de deputado, cargo para o qual foi reeleito nas últimas eleições legislativas.

Com a sua saída para o Governo, o lugar que deixa vago na Assembleia da República será ocupado por Sara Velez, socióloga de Caldas da Rainha, que ocupou a quinta posição na lista do PS pelo círculo eleitoral de Leiria.

Do distrito vai também integrar o Governo de António Costa, a juíza Catarina Sarmento e Castro, natural da Marinha Grande, que fica com a pasta dos Recursos Humanos e dos Antigos Combatentes, tutelada pelo Ministério da Defesa.

Catarina Sarmento Castro é filha do falecido deputado do PS, Osvaldo Castro.

Ex-juíza do Tribunal Constitucional, é professora na Faculdade de Direito de Coimbra desde 1994.

Catarina Sarmento e Castro, filha do deputado do PS Osvaldo de Castro (1946-2013), foi eleita juíza do TC à segunda tentativa, no parlamento, em 2010, por proposta do grupo parlamentar socialista.

Segundo a agência Lusa, antes de chegar ao Palácio Ratton, a secretária de Estado foi assessora do Ministério da Administração Interna entre 1995 e 1997, integrou a Comissão Nacional de Proteção de Dados, foi assessora do gabinete do presidente do Tribunal Constitucional e assessora da Secretaria de Estado da Modernização Administrativa, sempre em governos do PS.

Tem vários livros públicos, entre eles “Direito da Informática, Privacidade e Dados Pessoais” (2005) e “A Questão das Polícias Municipais” (2003).

Notícia actualizada às 20:35 horas.