Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Contágio

Comove-me sempre a generosidade de quem se desvia do seu caminho habitual, de quem integra os outros no seu percurso, de quem aceita cumplicidades e partilhas.

7 mar 2019

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Roménia

Sabes aquilo que dizem das árvores, que morrem de pé? Se calhar é parecido com os comboios, devem morrer inteiros e sobre os carris; de pé.

31 jan 2019

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Loucura

Sempre gostei de observar pessoas, sempre gostei de lhes escutar as conversas e, através das suas vozes, conhecerlhes os pensamentos e os sentimentos

22 nov 2018

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Plof

Pois, nunca pensaste; é uma coisa em que ninguém pensa. Porque a possibilidade de perder um braço é algo que jamais nos passa pela cabeça.

18 out 2018

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Um olhar

Por vezes, basta um olhar para viajar no tempo.

9 ago 2018

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Vuuuuum, vuuuuum

“Gostava da tua mãe, às vezes ainda penso nela. Bons tempos, esses. Mas depois fui para a França e pronto. Tudo mudou.” Calou-se.

31 mai 2018

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Olá

Por vezes, escreve-se ou corre-se a maratona pela mais simples e pura das razões: porque sim.

26 abr 2018

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Queres ser o meu guarda-chuva?

Primeiro há que encontrar alguém com um guarda-chuva na mão e que, por isso, o perceba, intua de imediato os seus motivos. Alguém a quem não seja necessário explicar o que sente.

22 mar 2018

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Xuxus

“Xuxus” é uma expressão muito usada pela Liliana; faz-me sorrir sempre. Devagarinho, vão-se organizando, aproximam-se do palco onde as habituais cinco cadeiras vazias aguardam.

15 fev 2018

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Iupiiiiii

Mas certamente por distracção ou descuido, terá havido um momento em que o teu olhar recaiu no parque dos baloiços e, quando deste por ti, todos os dias espreitavas aquele canto abandonado do cenário.

13 jan 2018

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Asas

Ele vivia numa aldeia, ela noutra; pelo meio, muitos quilómetros de distância. Isso não o preocupava, sempre ouvira dizer que o amor é cego (mentira) e que dá asas (talvez), o que é bom para quem tem de andar a pé.

8 dez 2017

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Preocupações engarrafadas

Trouxe uma garrafa consigo.

2 nov 2017

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Rascunhos de Verão

26 ago 2017

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Cinco anos

Publiquei a primeira crónica no JL há cinco anos, em Maio de 2012. Assinalo a data recuperando um texto de 2014 sobre infinitos e janelas. Um texto de que ainda gosto.

16 mai 2017

Paulo Kellerman, escritor

Paulo Kellerman, escritor

Transparência

Estou na varanda a apanhar sol e, como é hábito, penso disparates. Por exemplo: uma prova da inexistência de deus é o facto de as pessoas terem a pele opaca.

10 abr 2017