Opinião

PNI 2021-2030: onde está o Oeste?

17 jan 2019 00:00

A razão parece óbvia: estamos em ano de eleições e o Governo está já apenas dedicado à campanha eleitoral.

O Plano Nacional de Investimentos obriga à identificação e reflexão por parte do Governo sobre os setores subdesenvolvidos no nosso país, sendo uma ferramenta utilizada para a definição dos investimentos estratégicos a operar em cada região de Portugal, estabelecendo assim o rumo a seguir nos anos subsequentes.

O Governo liderado por António Costa lançou nos últimos dias a discussão do Novo Plano Nacional de Investimentos para vigorar até 2030. Não obstante, parece esquecer-se que o atual plano, até 2020, está ainda com 80% por executar. Não é, portanto, uma grande surpresa que o investimento público tenha alcançado mínimos históricos nos últimos três anos.

Levanta-se então a seguinte questão: como pode o Governo pensar num Plano Nacional de Investimentos para 2030 se a conclusão do atual até 2020 está tão longe de terminar?

A razão parece óbvia: estamos em ano de eleições e o Governo está já apenas dedicado à campanha eleitoral.

A título de exemplo, o Ministro do Planeamento e das Infraestruturas anunciava em Novembro a eletrificação da linha do Oeste para o primeiro semestre de 2019, com mais de um ano e meio de atraso face ao que estava previsto no plano Ferrovia 2020. Mas, nisto tudo, onde está o Oeste?

Dos 72 projetos que constam do PNI 2021-2

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO