Opinião

Os supostos especialistas: um perigo para o país

2 nov 2017 00:00

Atragédia dos incêndios não tem fim.

Depois de centenas de milhares de hectares ardidos entramos em novembro com fogos ainda ativos.

Como é possível em Portugal, em pleno século XXI, assistirmos dezenas de vezes durante o verão e agora outono a incêndios de enormes dimensões que além de destruírem o nosso património florestal levaram a vida de mais de 100 pessoas?

Como foi possível desmobilizar os meios de combate aos incêndios quando todas as previsões meteorológicas indicavam que o “verão” estava para durar pelo menos até meados de novembro?

Como é possível continuarem a contar ao povo que foram “maluquinhos” os responsáveis, ou mesmo a queda de um poste da EDP que estiveram na origem dos maiores incêndios deste ano?

Infelizmente no nosso país tudo é possível… Depois da tragédia de Pedrogão Grande e dos incêndios de 15 de outubro importa refletir e começar a preparar o futuro.

É fundamental que os políticos deixem as guerras partidárias e se juntem ao povo na luta pela reorganização das nossas florestas e pela prevenção dos incêndios.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO