Opinião

O nosso Pinhal do Rei

19 out 2017 00:00

E aconteceu. Depois de meses de incêndios facínoras que ceifaram vidas e bens em tantos territórios do nosso país.

Este fim-de-semana foi a nossa mata, foram algumas das nossas casas e empresas que conheceram a brutalidade e a força da devastação de um incêndio que em horas reduziu a cinzas a nossa mata, o Pinhal de Leiria e mais de 700 anos de história. E não só. Foi também uma parte de nós, da nossa memória, da nossa identidade, da nossa história que se perdeu. Para quem é de cá não é apenas um pinhal.

É o nosso. Das nossas recordações de infância. Da volta aos 7, dos piqueniques no parque de merendas, do bairro dos guardas florestais em Pedreanes onde viveu o meu pai e onde aprendi a andar de patins, das camarinhas que contavam a lenda das lágrimas da Rainha Santa Isabel, da Ponte Nova, do Ponto Novo, do ribeiro de São Pedro, do Tremelgo. E quase tudo se foi. Às horas a que escrevo este texto, já ficou para trás o período de maior sufoco e aflição.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO