Opinião

O crescimento da economia

3 abr 2017 00:00
henrique-neto
Henrique Neto

A estagnação económica dura desde o início do século e os governantes não atinam com a solução.

No contexto dos problemas que Portugal enfrenta, os mais graves depois da adesão à CEE, agora União Europeia, o crescimento da economia é a chave da solução, sem o que dificilmente poderemos pagar a dívida acumulada pela má governação nacional e, caso contrário, o empobrecimento do País será inevitável, já que os juros a pagar são uma verdadeira bomba relógio sobre as cabeça dos portugueses.

Infelizmente, a estagnação económica dura desde o início do século e os governantes não atinam com a solução.

Dito isto, todos sabemos que o bom investimento produtivo é essencial para dinamizar a economia e, pensando no nosso distrito, que está na linha da frente da economia nacional, aconselharia as autarquias a unirem-se para realizar um programa de atracção do investimento estrangeiro, nomeadamente de empresas industriais integradoras, aproveitando as condições favoráveis da logística nacional e das capacidades industriais e humanas já existentes na região.

Isto é, o modelo recomendado aproveita o facto de as empresas integradoras trazerem com os investimentos os seus mercados, como aconteceu, por exemplo, com a AutoEuropa.

Trata-se de promover o investimento com base num modelo simples: Portugal está geograficamente no centro do Ocidente e através do porto de Sines é o melhor local europeu e o mais competitivo para a importação de todo o mundo dos componentes e dos sistemas de que essas empresas precisam e exportar pela mesma via os produtos resultantes para todos os continentes.

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.

*Empresário