Opinião

Miscelânea (de assuntos)

15 abr 2017 00:00
francisco-j-mafra-economista
Francisco J. Mafra, economista

A necessidade editorial de antecipar a data de saída da minha crónica deste mês apanhou-me desprevenido e obrigou-me a lançar mão de alguns assuntos pendentes “em caixa”.

1. Esta semana soube-se pela comunicação social que Leiria-cidade figurava nas 10Top melhores cidades portuguesas para viver. Conclusão: vive-se muito mal nas cidades portuguesas, para que Leiria tenha ganho o “galardão” relativo que teve.

2. O último número do JL titula em parangonas de primeira página que a Igreja recomenda exorcismo para aquilo que a medicina não explica. Eu não acredito em muitas coisas, designadamente em diabos e bruxas, mas muitas vezes sou levado a acreditar nos que acreditam. Conclusão: não acredito em diabos, muito menos à solta. Mas que os há, há.

3. Dois ou três dias após a assinatura da oferta à CML da Vila Portela, nas condições conhecidas, soube-se que o imóvel, no estado em que está, não reúne os requisitos mínimos para ser a “Casa das Artes” leiriense. Conclusão: nada de pressas em negociar porque, quando a esmola é grande, até o pobre se admira.

4. A Assembleia Municipal de Leiria aprovou uma moção para que a Câmara desencadeie iniciativas para impedir o encerramento de balcões da CGD no concelho. Conclusão: agora até as câmaras municipais querem também mandar na Caixa? A propósito do mesmo assunto, fiquei a saber que a Câmara de Peniche tem um milhão de euros depositados na CGD e se prepara para os transferir para outro banco. Conclusão: aparentemente, há dinheiro a mais nas (algumas?) Câmaras.

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.

*Economista