Opinião

Crescimento económico e tecnologia

11 out 2018 00:00

O stock acumulado de conhecimento de uma economia, tal como o stock de capital, permite que empreendedores e empresas inovem.

No dia em que escrevo esta crónica, o prémio Nobel da Economia de 2018 foi atribuído a Paul Romer e William D. Nordhaus. Nordhaus ficou conhecido por ser o pioneiro na utilização de modelos simples mas dinâmicos e quantitativos do sistema económico-climático global.

As ferramentas que criou permitem simular como a economia e o clima podem coevoluir no futuro, considerando hipóteses alternativas sobre o funcionamento da natureza e a economia de mercado, incluindo as políticas relevantes (como impostos sobre carbono).

Estes modelos são tão mais importantes quanto o abismo do aquecimento global é hoje uma inevitabilidade. Romer, por seu lado, tem um contributo ímpar na questão do crescimento económico.

Seguindo de certa forma o percurso feito por Schumpeter (economista austríaco do início do século XX), Romer propôs um modelo de crescimento económico que incorpora o progresso tecnológico como fator determinante para o desenvolvimento, considerando que a produção de conhecimento e ideias (de forma sistematizada através do setor de I&D) e tecnologia são os elementos fundamentais do crescimento económico.

O stock acumulado de conhecimento de uma economia, tal como o stock de capital, permite que empreendedores e empresas ino

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO