Opinião

Associação Ação Para a Internacionalização - AAPI

28 mar 2017 00:00
marcio-lopes-docente-do-politecnico-de-leiria
Márcio Lopes, docente do Politécnico de Leiria

Aestrutura do comércio internacional português é inequívoca: 76% das exportações são intracomunitárias.

Isto é: o tecido empresarial exportador tem uma reduzida propensão à dispersão geográfica dos negócios e, com isso, desperdiça oportunidades de aproveitar ciclos económicos de expansão em outros territórios.

Por exemplo, segundo o FMI, até 2021, a taxa de crescimento económico da zona euro será de apenas 1,5% ao ano, ao passo que na região dos países asiáticos emergentes o crescimento será de 6,4%.

Mercados distantes, tais como o Camboja, Indonésia, Malásia e Filipinas, vão crescer quatro vezes mais que os países europeus para onde Portugal exporta. No passado dia 17, decorreu aqui em Leiria um evento empresarial marcante – o Leiria Centro Exportador.

Estiveram presentes cerca de 500 pessoas, 18 câmaras de comércio e 13 empresas. Foram realizadas 27 reuniões de procurement para o mercado polaco e inglês. E tudo num só dia. E tudo feito com um orçamento de 16 mil euros, realizado por uma pequena associação – a AAPI.

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.