Opinião

Amores de Verão

30 ago 2018 00:00

E também a mudança de objectivos, agora mais centrados no desenvolvimento dos interesses sociais e do grupo, que marcam a vida adulta.

Final de tarde. O sol ainda queima e na praia um grupo de adolescentes de fatos de banho coloridos e corpos bronzeados riem e tiram selfies entre si. Está uma tarde cálida de Agosto e o mar sereno.

Penso nos primeiros amores juvenis, os amores de Verão. Penso também na importância fundamental dos jovens se sentirem à vontade com a sua “nova” imagem do corpo e procurarem nele as qualidades estéticas de atracção do outro. Porque o modo como nos apreciamos traduz-se no modo como nos sentimos apreciados desde tenra idade. E isso conta, conta muito.

Penso também em como as férias grandes e o calor do Verão parecem dar alento a algumas das tarefas desenvolvimentais que a própria adolescência traz consigo.

Entre elas, duas de especial importância: a mudança de objecto de amor, infantil e dependente da protecção dos pais rumo ao amor juvenil e à autonomia e independência, com a descoberta de um novo corpo e o emergir da sexualidade.

E também a mudança de objectivos, agora mais centrados no desenvolvimento dos interesses sociais e do grupo, que marcam a vida adulta.

Sabemos que a imagem do corpo agora sexual é uma dimensão nova e única que se constrói na adolescência, à media que a puberdade se instala e traz consigo os caracteres sexuais secundários, apagando progressivamente a imagem do corpo infantil.

E que nem sempre é fácil para o próprio adolescente vive

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO