Opinião

Ambiente de capital de cultura

19 abr 2018 00:00
joao-nazario-director-do-jornal-de-leiria
João Nazário, director do Jornal de Leiria

A cereja que dará a cor final ao bolo está, no entanto, guardada para o encerramento, que acontecerá amanhã, com a diva alemã Ute Lemper a subir ao palco do Teatro José Lúcio da Silva.

Tantas vezes criticadas neste espaço as opções da Câmara de Leiria relativamente à programação e política culturais, há agora que dobrar a língua e dar os parabéns à autarquia pelo que parece ser um desvio para um caminho com maior critério e qualidade.

A começar na excelente exposição Nós e os outros, com trabalhos de quatro nomes grandes das artes plásticas de Leiria, inaugurada recentemente no m|i|mo, passando pela maior coerência do que tem sido apresentado no antigo Banco de Portugal, onde no passado, entre o óptimo e o muito mau, tudo ali parecia caber, até à renovada Festa dos Museus, é visível um maior cuidado e mais conhecimento na programação apresentada.

A referida Festa dos Museus é um bom exemplo disso mesmo, tendo este ano conseguido dar o salto de uma boa ideia colocada em prática de forma um pouco atabalhoada, para um evento bem pensado e capaz de acrescentar ao que já existe.

Nesta como noutras coisas, dificilmente há coincidências, havendo créditos a atribuir a quem programou as iniciativas, mas também ao vereador da Cultura, Gonçalo Lopes, por ter percebido que, como se diz popularmente, “cada macaco deve estar no seu galho” e que programar exige conhecimento, saber e experiência específicos.

Espera-se, agora, que estes sinais não passem disso mesmo, mas que possam ser o início de uma nova forma de olhar para a Cultura, abandonando-se de vez a programação por catálogo e em pacote, sem esquecer o investimento necessário para fomentar a criação artística e a educação cultural.

Educação cultural é exactamente o que faz o Orfeão de Leiria junto de centenas de jovens músicos e bailarinos, que ainda tem tido energia e coragem para pôr de pé, há já 36 anos, o Música em Leiria, um dos festivais mais interessantes do panorama artístico nacional.

Sem qualquer desprimor por edições anteriores, sempre de elevada qualidade, este ano o cartaz apresentado foi especialmente bem conseguido, fazendo passar pela nossa região um conjunto de momentos de música e de dança que não o envergonhariam em local algum do Mundo.

A cereja que dará a cor final ao bolo está, no entanto, guardada para o encerramento, que acontecerá amanhã, com a diva alemã Ute Lemper a subir ao palco do Teatro José Lúcio da Silva para encantar com as suas interpretações de Berlin Cabaret Songs, num espectáculo único em Portugal.

Têm sido, sem dúvida, dias de privilégio para toda esta região, que, pelo menos por momentos, sentiu um cheirinho a capital da cultura.

 

Amanhã, em Alvaiázere, o JORNAL DE LEIRIA promoverá o III Fórum da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria, desta feita subordinado ao tema Ordenamento e Valorização do Território.

Com a colaboração de alguns dos mais notáveis especialistas do nosso País nas áreas do urbanismo, da floresta, das alterações climáticas e do ordenamento, será uma excelente oportunidade para esta região debater o que pretende que seja o seu território, assunto que ganhou ainda mais relevância face à catástrofe que nos assolou este Verão.

O JORNAL DE LEIRIA deixa a todos os seus leitores o convite para irem até Alvaiázere debater esta problemática a que ninguém pode ficar alheio.