Opinião

A insustentável alienação

11 out 2018 00:00

Os canais norte americanos têm produção cultural excelente, sofrível e muito má.

O canal História é paradigmático. Nascido como canal cultural, prometendo documentários de qualidade (de “História) e o apoio à produção nacional, foi decaindo na sua programação, ao ponto de ser obsceno chamar-lhe “Canal História”. E os outros canais temáticos vão pelo mesmo caminho.

O canal Odisseia, o Discovery e até o insuspeito National Geographic vendem cada vez mais “gato por lebre”. Todos eles, caídos no remoninho das audiências, vão emitindo displicentemente, sustentados no argumento de darem ao público o que o público quer, mesmo quando esse argumento falacioso se traduz em programação leviana e de má qualidade.

Deve ser o mesmo argumento que leva as televisões nacionais a apresentarem-nos nos programas populares dos domingos uma inenarrável “música portuguesa”, numa passerelle de brejeirice e mau gosto, junto da qual – digo-o sem ironia - Quim Barreiros é sempre uma pérola do bem versejar e musicar.

Os canais norte americanos têm produção cultural excelente, sofrível e muito má. Mas não é de estranhar que conjuntamente com o pouco muito bom exportem o muito mau, sobretudo para os países que, pelos vistos, devem considerar culturalmente atrasados ou amorfos, como será Portugal. E o que mais me irrita é a passividade de quem gere os canais em Portugal, a começar pelos seus proprietários, passando pelos coordenadores de emissão.

Não se deve dar ao público o que ele quer, porque os media têm a responsabilidade ética de dar sempre ao público muito mais cultura do que é suposto ele querer. Porque a educação pela cultura também é isso mesmo: compreender, propor, enfrentar, elevar-se; e porque para sobreviver a democracia não pode pactuar com alienação.

Os defensores das “liberdades integrais” sem

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO