Saúde

Tempo de espera para consulta de otorrino é de três anos em Leiria

26 jan 2018 00:00

Secretário de Estado da Saúde aproveitou para destacar “resiliência” e a “qualidade” do Centro Hospitalar de Leiria.

tempo-de-espera-para-consulta-de-otorrino-e-de-tres-anos-em-leiria-8033

No Hospital de Santo André, do Centro Hospitalar de Leiria (CHL), espera- se em média 1021 dias por uma consulta não urgente de otorrinolaringologia e 1223 por atendimento em neurocirurgia, referem os indicadores do portal do Serviço Nacional de Saúde, relativos aos meses de Agosto, Setembro e Outubro, denunciados esta semana pelo Sindicato Independente dos Médicos (SIM).

À margem de uma visita ao CHL, na terça-feira, Fernando Araújo, secretário de Estado Adjunto e da Saúde, admitiu que esperar cerca de mil dias por uma consulta é "tempo excessivo" e mostrou-se descontente com os indicadores.

"Temos de combater isso. Não podemos ficar descansados nem satisfeitos com esses resultados. Significa que estão pessoas à espera mais daquilo do que deviam. Temos é também de ter a força e determinação para encontrar boas soluções."

Para esbater os tempos de espera, os sindicatos propuseram o "aumento do número de horas semanais” para as consultas, lembrando que "praticamente metade do horário semanal normal de um médico hospitalar" está alocado à urgência.

Confrontado com estas exigências, o governante afirmou que "reduzir o horário de urgência e passá-lo para a consulta externa, para a cirurgia e para o internamento é uma das áreas" que tem de ser trabalhada, "mas isso não pode ser feito sem desfalcar os serviços de urgência", advertiu.

O presidente do Conselho de Administração do CHL, Helder Roque, explicou que a neurocirurgia é uma especialidade que não faz parte da “carteira de serviços” de um hospital distrital. “Fizemos uma contratação de serviços, porque é uma área carenciada da nossa população e queremos dar-lhes resposta o mais atempadamente possível”.

O responsável referiu ainda que o CHL tem três otorrinos para uma área de influência de 400 mil habitantes. “Nessas e noutras situações desdobramos as nossas equipas. Este hospital tem vindo a diferenciar-se e a crescer na área de influência. São situações que não nos agradam, mas também temos vindo a aumentar o número de consultas, cirurgias e exames.” Helder Roque acrescentou que otorrinolaringologia é uma área onde faltam especialistas no País.

 

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO