Sociedade

Sobrinho Simões enaltece investigação feita no centro hospitalar

7 out 2016 00:00

O professor catedrático participou numa conferência, em Leiria, onde recomendou que o centro hospitalar esteja “afiliado” a um centro académico para complementaridade do trabalho de investigação que desenvolve.

sobrinho-simoes-enaltece-investigacao-feita-no-centro-hospitalar-5172

Orador convidado de uma conferência promovida pelo Centro de Investigação do Centro Hospitalar de Leiria (CHL), Manuel Sobrinho Simões deixou elogios ao trabalho científico feito na instituição.

“Vocês fazem um trabalho notável. (…)  Aqui há lugar para a pessoa curiosa fazer as perguntas certas sobre o doente e investigar”, afirmou o professor catedrático, durante a conferência, realizada no passado dia 4. 

Na ocasião, e segundo uma nota de imprensa do CHL, Sobrinho Simões recomendou que a instituição “esteja afiliado a um centro académico clínico para o interesse de complementaridade de investigação e reforço de serviços”. 

Durante a sua intervenção, o director do Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto abordou as diferentes fases da evolução da medicina, começando pela medicina baseada na evidência, passando pela medicina personalizada e terminando com a medicina de precisão.

“Hoje em dia temos um problema demográfico, novas doenças e a epidemia do cancro, e assistimos a uma alteração das organizações, bem como na relação entre o médico e o paciente. A maioria dos médicos preocupa-se em diagnosticar e curar e poucos se preocupam em compreender”, disse.

O médico e professor defendeu também que,  “apesar de vivermos na medicina da era metagenómica, ainda não conseguimos prever o que vai acontecer, pois é importante não esquecer que as doenças são fruto da interacção com os vários factores externos e o próprio ambiente, e não condicionadas pelos genes”. 

Para Sobrinho Simões, é o momento para ensaios numa só pessoa, “um pouco como regressar a uma medicina mais artesanal, em que cada doente é estudado, com base na sua patologia grave ou potencialmente muito grave”.

O investigador frisou que “os ensaios clínicos são importantes”, porque permitem que “o profissional adquira boas práticas e contribui para o processo de benchmarking, mas não estimulam intelectualmente”.

A próxima conferência do Centro de Investigação do CHL realiza-se no próximo dia 3 de Novembro, subordinada ao tema “ Registos Clínicos- o mundo real da investigação médica”. O orador será Lino Gonçalves, da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra.

EVENTOS