Sociedade

População de Ansião desespera com mau cheiro de aviário

21 mar 2017 00:00

Exploração foi considerada de interesse público pela Câmara.

populacao-de-ansiao-desespera-com-mau-cheiro-de-aviario-6108
Maria Anabela Silva

São raros os dias em que Fátima Faria, moradora na localidade de Mogadouro de Cima, concelho de Ansião, consegue abrir uma janela ou estender roupa na rua. A culpa é dos maus cheiros provenientes do aviário existente na povoação e do depósito de estrume da exploração.

O problema arrasta-se há anos. Já motivou abaixos-assinados, manifestações e reclamações junto das entidades competentes, mas a resolução tarda em chegar.

Entretanto, a Câmara de Ansião, através da Assembleia Municipal, emitiu, uma declaração de interesse municipal, no âmbito do processo de regularização das instalações onde funciona a unidade.

“Há dias em que, mesmo com portas e janelas fechadas, dá para sentir o cheiro dentro de casa. E moro a cerca de dois quilómetros”, conta Lisete Neves, lamentando o arrastar da situação.

“Vivo aqui há mais de 20 anos e sempre me lembro deste cheiro. No Verão, é impossível comer na rua e há muitos dias em que não podemos abrir as janelas para refrescar a casa”, acrescenta a moradora. Fátima Faria fala num cheiro “nauseabundo” que, em certas ocasiões, torna “o ar quase irrespirável”.

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.

EVENTOS