Viver

Obrigado Leiria!!!

7 out 2015 00:00

O Há Música na Cidade está a transformar-se num caldeirão de emoções. A responsabilidade é da música e outras manifestações artísticas que têm vindo a integrar o programa e que promovem a exaltação de uma diversidade de sentimentos no público. As pessoas já não vivem sem o Há Música e o Há Música também não vive sem elas.

obrigado-leiria-2218
Jacinto Silva Duro

Clique em cima para ver o resumo em vídeo do HMC2015

“O Há Música na Cidade (HMC) já é mais do que um evento de música, está a transformar-se num grande caldeirão em ebulição de emoções, motivadas pela música, pela dança, teatro e performance, que se vão enraizando na dinâmica do evento de ano para ano.

Quem não se emocionou a ver os The Allstar Project? Quem não sorriu com o Teatro Amador de Pombal? Quem não dançou com as fanfarras? Quem não se enterneceu com as actuações dos mais pequeninos alunos da SAMP e do Orfeão de Leiria? Quem não se arrepiou com as actuações de sopranos, contratenores e barítonos?

Quem não sentiu o valor histórico dos ranchos folclóricos? Quem não viajou no tempo com a Orquestra Filarmonia das Beiras? Quem não teve aquele sentimento de pertença com o Fado e o Cante Alentejano? Quem não se orgulhou de Leiria, pela quantidade e diversidade de artistas que temos? Só quem não esteve no Há Música na Cidade!

Foi atrás de diversão mas também de momentos únicos que dão lugar a sentimentos fortes que milhares de pessoas vieram à 5.ª edição do Há Música na Cidade e, a julgar pelas reacções, encontraram ainda mais do que estavam à espera, com dois dias de programação, mais palcos e mais espectáculos para ver este ano.

A música apoderou-se da cidade e dos corações das pessoas, artistas e público estiveram em sintonia neste que já é um dos mais mobilizadores eventos de Leiria. Pais, filhos, netos, avós, primos, tios e até animais de estimação desceram à cidade para, entre família e amigos, fazerem parte de uma grande festa onde a cultura é pretexto para momentos de felicidade.

Fiel à sua característica capacidade de promover o encontro de diversos públicos com a música, o HMC ofereceu rock, hip-hop, canto, fanfarra, electrónica, jazz, música de câmara, clássica, orquestras, fado, folclore e ainda dança, teatro e performance a milhares de pessoas.

A Villa Portela, Igreja da Misericórdia e o antigo quartel de bombeiros na Avenida Combatentes da Grande Guerra tiveram especial atenção este ano pelo facto de serem espaços habitualmente fechados ao público e que no HMC foram palco de grandes actuações.

Leia mais na edição impressa ou faça registo e descarregue o PDF gratuitamente