Sociedade

Município de Leiria planta 20 mil árvores na Mata Nacional do Urso

22 out 2019 00:00

A vereadora considerou que só é possível ter sucesso “neste esforço de regeneração da mata nacional” se houver união “em torno desta causa”.

municipio-de-leiria-planta-20-mil-arvores-na-mata-nacional-do-urso-10803
Jacinto Silva Duro

O Município de Leiria vai plantar 20 mil árvores na Mata Nacional do Urso, num talhão de 16,8 hectares na envolvente da Lagoa da Ervedeira, durante o mês de Novembro, anunciou hoje a autarquia.

Estão previstas duas acções de plantação, nos dias 16 e 23 de Novembro, que contam com o apoio de diversas instituições, nomeadamente a Páginas de Música - Associação de Solidariedade e Apoio Social, que colabora na preparação do terreno nos 16,8 hectares a reflorestar nos dois dias, num investimento de 19 mil euros.

O Movimento Terra de Esperança - Fundação Galp, vai doar plantas e organiza ação de voluntariado no dia 16, enquanto a EDP Distribuição será responsável pela oferta das árvores no dia 23.

Segundo a nota da Câmara de Leiria, liderada por Gonçalo Lopes (PS), as espécies a plantar no talhão são o pinheiro-bravo e o pinheiro-manso, tendo o plano de arborização sido desenvolvido pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

A vereadora do Ambiente na Câmara Municipal de Leiria, Ana Esperança, citada no comunicado, apela à participação da população nestas iniciativas, que “contribuem para o renascimento da mata nacional, um dos mais importantes elementos da nossa identidade coletiva”.

“Depois do trágico incêndio quase ter destruído por completo o nosso pinhal, este é o momento para nos juntarmos e mostrarmos uma vez mais o grande espírito de união que caracteriza a nossa região”, salientou Ana Esperança.

A vereadora considerou que só é possível ter sucesso “neste esforço de regeneração da mata nacional” se houver união “em torno desta causa”.

Destacando o desejo de continuar a desenvolver esforços para que outras ações de reflorestação tenham lugar no futuro, Ana Esperança afirmou que “este é um caminho que demorará tempo a ser percorrido”.