Sociedade

Misericórdias podem acolher “de imediato” cerca de 100 desalojados pelos fogos

18 jun 2017 00:00

Levantamento feito pela União das Misericórdias Portuguesas

misericordias-podem-acolher-de-imediato-cerca-de-100-desalojados-pelos-fogos-6650
Jacinto Silva Duro

As misericórdias portuguesas vão poder acolher os desalojados dos incêndios que lavram nos distritos de Leiria e Coimbra, disse hoje à agência Lusa o presidente da União das Misericórdias Portuguesas (UMP).

“Fizemos já um levantamento de quantas pessoas podemos acolher, eu já tenho esse resultado no distrito de Coimbra e, numa primeira fase, podeLemos acolher de imediato cerca de 100 pessoas”, disse Manuel Lemos.

Sobre as pessoas que as misericórdias podem acolher no distrito de Leiria, o presidente da UMP acrescentou que o número deve ser semelhante ao de Coimbra, pelo que está convicto de que pode acolhê-las “todas”.

A não ser que o número de desalojados aumente exponencialmente, observou Manuel Lemos.

A julgar pelo que tem ouvido na comunicação social, o presidente da União das Misericórdias disse que o número de desalojados deve rondar os 250 e que, sendo assim, a instituição que dirige pode acolhê-los a todos nos distritos a que pertencem.

Manuel Lemos acrescentou que nos concelhos onde existem incêndios as misericórdias “estão a trabalhar a um milhão por cento”, tanto para acolher as pessoas, como para apoiar os que combatem os fogos.

Além disso, as misericórdias estão a funcionar como retaguarda umas das outras nos distritos de Coimbra e de Leiria, os mais fustigados pelos fogos, observou.

 

Agência Lusa