Sociedade

IPLeiria gera 129 milhões de euros na economia da região

11 abr 2019 00:00

Segundo um estudo apresentado na semana passada, por cada euro de investimento público, o Politécnico de Leiria tem impacto de 4,7 euros na economia da região.

Foto: Ricardo Graça

Os gastos dos estudantes, sobretudo em alojamento, representam em média 80% do impacto económico directo dos institutos politécnicos nas regiões onde estão inseridos  (ver quadro em anexo clicando no lado esquerdo superior) .

A conclusão é do estudo O impacto económico dos institutos superiores politécnicos em Portugal, do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP), divulgado na semana passada, que analisa os impactos directos e indirectos da presença de 12 destes institutos nas regiões onde se inserem (com excepção dos Politécnicos de Coimbra, Lisboa e Porto).

Mais de 61 milhões de euros por ano é quanto valem os estudantes do Instituto Politécnico de Leiria (IPLeiria) para a região onde está inserido, um dos valores mais elevados entre os institutos analisados – Beja, Bragança, Castelo Branco, Cávado e Ave, Guarda, Leiria, Portalegre, Santarém, Setúbal, Tomar, Viana do Castelo e Viseu – que se explica por Leiria ter o instituto com maior número de alunos e um dos valores de encargos mensais médios por estudantes mais alto: os 554 euros gastos em média pelos alunos de Leiria só são superados nesta amostra pelos 587 euros médios em Setúbal.

Segundo o estudo, que analisa dados de 2017, o impacto directo das instituições corresponde aos gastos dos docentes, dos funcionários, dos estudantes e da própria instituição, de onde se excluem salários, por exemplo, e se contabilizam apenas os gastos correntes de bens e serviços em empresas locais.

No total dos gastos anuais, o Politécnico de Leiria tem um impacto directo nas regiões onde as cinco escolas estão inseridas de 76.163 milhões de euros. Num estudo semelhante encomendado pelo CCISP, em 2014, o IPLeiria tinha um impacto directo de 101.008 milhões de euros.

Uma das razões que podem explicar esta diminuição do valor é a queda do número de estudantes, de 12.102 para 10.914 alunos. Para além do impacto directo, o estudo analisa também os efeitos económicos “indirectos e induzidos” pela presença do IPLeiria na região, que ascendem a 129 milhões de euros.

Estes correspondem “à propagação/amplificação pela economia local do impacto da despesa inicialmente efectuada”, ou seja, ao incremento da actividade económica local decorrente das despesas efectuadas pelas empresas que fornecem bens e serviços à comunidade do ensino superior.

O documento revela ainda que o IPLeiria tem um peso de 4,18% do Produto Interno Bruto (PIB) regional, é o 2.º maior empregador na região onde se insere, tendo criado 4218 postos de trabalho e absorvendo 4,34% da população activa.

Por aluno, e em termos gerais, o impacto directo estimado nas regiões é de 6.850 euros, que se traduz num impacto total de 11.645 euros gerado por esse mesmo estudante.

O estudo considerou os gastos dos estudantes que  

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO