Economia

Investimento de 3,4 milhões de euros em maternidades de bivalves

1 ago 2019 00:00

Projecto da empresa Oceano Azul está a nascer no porto da Nazaré

investimento-de-34-milhoes-de-euros-em-maternidades-de-bivalves-10519
Raquel de Sousa Silva

A Oceano Azul está a desenvolver no porto da Nazaré uma maternidade de bivalves, investimento de 3,4 milhões de euros, dos quais 1,1 milhões comparticipados pelo programa MAR2020.

O projecto, visitado esta terça-feira pela ministra do Mar, vai contribuir para que o sector da aquacultura atinja, até final de 2020, uma produção de 20 mil toneladas, estimou Ana Paula Vitorino.

Citada pela Agência Lusa, a governante, considerou que a maternidade, que irá produzir por ano 200 milhões de sementes de ameijoa, “vem colmatar uma lacuna” ao nível da produção deste produto, actualmente comprado em Espanha, e “alargar a cadeia de valor da aquacultura”.

Durante anos, o sector teve “uma produção estável de 10 mil toneladas” que, segundo a governante, conheceu “um desenvolvimento notável nos últimos três anos” e onde a nova maternidade surge como “uma mais valia” em termos económicos e da “criação de emprego altamente qualificado”.

A maternidade de bivalves, pioneira no país, vai produzir, em tanques com água do mar, sementes de ameijoa ‘rainha’ e ‘macha’ até ao tamanho de três milímetros, para colmar “níveis de produção [natural] reduzidos daquelas espécies”, explicou à Lusa Andreia Cruz, bióloga da Oceano Fresco.

Actualmente em fase de construção, a maternidade deverá iniciar a produção “no primeiro trimestre de 2020” e gerar, anualmente, 200 milhões de sementes de ameijoa e ostras, que serão depois transferidas para uma área de cultivo em mar aberto, ao largo de Alvor, onde até ao final do ano será instalado um viveiro com capacidade para a engorda de 1.600 toneladas daquelas espécies.

Este viveiro terá um custo de três milhões e uma comparticipação de 1,5 milhões de euros.“As duas instalações permitirão à empresa cobrir o ciclo completo”, numa abordagem integrada que permitirá seguir os bivalves desde a sua criação à comercialização para depuradoras e, numa segunda fase, para o mercado internacional.

 

Este conteúdo é exclusivo para assinantes

Sabia que pode ser assinante do JORNAL DE LEIRIA por 5 cêntimos por dia?

Não perca a oportunidade de ter nas suas mãos e sem restrições o retrato diário do que se passa em Leiria. Junte-se a nós e dê o seu apoio ao jornalismo de referência do Jornal de Leiria. Torne-se nosso assinante.

Já é assinante? Inicie aqui
SAIBA COMO