Economia

Exportações de cerâmica subiram 6% e somaram 701 milhões de euros

23 mar 2017 00:00

A indústria cerâmica está bem e recomenda-se. Dados da associação sectorial revelam que as exportações atingiram em 2016 os 701 milhões de euros. Os produtos portugueses chegaram a 163 mercados internacionais

exportacoes-de-ceramica-subiram-6-e-somaram-701-milhoes-de-euros-6136
Raquel de Sousa Silva

Cinco milhões e meio de euros em vendas no ano passado, valor que traduz um aumento na ordem dos 10% face a 2015. Para a Val do Sol, cerâmica de Porto de Mós, 2016 foi um “bom ano”, não só devido ao crescimento das vendas, mas também porque conseguiu “subir preços”, explica Eduardo Alves.

Esta empresa exporta toda a produção e o seu responsável conta que se nota uma deslocação da procura da Ásia para o nosso País. “Portugal tem as condições certas: está bem posicionado geograficamente, os preços que pratica não são demasiado altos e há oferta de produtos complementares à cerâmica”.

A indústria enfrenta, contudo, alguns constrangimentos. “Há a velha questão do preço da energia. Mas o mais importante seria que o Estado não mexesse nos custos do trabalho [por via do aumento do salário mínimo]. Se baixasse os impostos, as pessoas teriam mais rendimento disponível”, entende.

“Após a crise económica mundial de 2008-2009, as exportações portuguesas de cerâmica conseguiram crescer de uma forma sustentada” e, de acordo com a APICER – Associação Portuguesa das Indústrias de Cerâmica e Cristalaria, tiveram em 2016 “o melhor ano de que há registo”. O valor das vendas para o estrangeiro ascendeu a 701 milhões de euros, “o mais elevado de sempre”, e traduz um aumento de 6,3% face a 2015.

“O bom desempenho das exportações de cerâmica reflectiu-se também na sua contribuição para a balança comercial portuguesa. Em 2016 cifrou-se nos 573 milhões de euros e a taxa de cobertura das importações pelas exportações ascendeu a 547% (de referir que a taxa de cobertura média para o conjunto de bens foi de 82,4%)”, aponta a associação. “Este foi o terceiro melhor desempenho em termos globais (a seguir aos minérios e às pastas de madeira) e ainda o sétimo melhor desempenho em termos do saldo de comércio internacional”.

No ano passado, a cerâmica portuguesa chegou a 163 mercados internacionais. Para o conjunto de produtos cerâmicos (onde se inclui a cerâmica utilitária e decorativa, pavimentos e revestimentos, louça sanitária, telhas e outros), França é o principal mercado de destino, seguindo-se Espanha, Estados Unidos, Alemanha e Reino Unido. Um pouco mais de 70% do valor total exportado foi para o mercado comunitário, 29,8% para o mercado extra-comunitário.

Leia mais na edição impressa ou torne-se assinante para aceder à versão digital integral deste artigo.

EVENTOS