Sociedade

Construção de rotundas no IC2 para diminuir sinistralidade

11 jan 2019 00:00

Infraestruturas de Portugal investe 4,7 milhões de euros em Leiria.

construcao-de-rotundas-no-ic2-para-diminuir-sinistralidade-9689

A Infraestruturas de Portugal (IP) vai investir cerca de 4,7 milhões de euros em obras de requalificação no IC2, no concelho de Leiria, numa extensão de 4,5 quilómetros, que incluiu a construção de três rotundas, projecto anunciado em 2014, depois de uma marcha lenta que levou à colocação de um separador central entre a entrada para a A19 e o cruzamento da Ferrus, no IC2.

Além dos mortos registados até então neste troço, têm-se vindo a verificar acidentes com vítimas mortais nos cruzamentos da Boa Vista, sobretudo, quando os semáforos deixam de funcionar.

Em 2014, a IP anunciou que além do separador central, também iria proceder à construção de duas rotundas nos cruzamentos da Boa Vista norte e sul, em substituição dos semáforos, e no cruzamento da Ferrus, junto à rotunda aérea, substituindo a caixa de viragem, actualmente existente.

No entanto, só na semana passada foi publicado em Diário da República o concurso público para uma empreitada, com o preço base de 4.650.000 euros e prazo de execução de 180 dias.

De acordo com o documento, a zona de intervenção tem início na zona do entroncamento da Ferrus, na União de Freguesias de Marrazes e Barosa, e termina ao quilómetro 131, na zona da União de Freguesias de Santa Eufémia e Boa Vista.

Segundo a Infraestruturas de Portugal, a construção de três rotundas “assegurarão um importante reforço das acessibilidades e na interligação com a rede viária local” e tem como objectivo a “melhoria das condições de circulação, acessibilidade e de segurança para automobilistas e peões”.

No âmbito da mesma empreitada, informa a IP, serão executados trabalhos de “reabilitação integral do pavimento, requalificação do sistema de drenagem longitudinal e transversal da via”, assim como a “construção de obras de contenção, reforço e adequação do sistema de sinalização, dos equipamentos de segurança e do sistema de guiamento e balizagem existente”.

Vítimas mortais quase duplicam

A sinistralidade em Leiria aumentou significativamente este ano, acompanhando a tendência nacional. O número de vítimas mortais (no local do acidente ou durante o transporte ao hospital) quase duplicou face a 2018, revela o relatório da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), que não inclui os números referentes a vítimas que venham a falecer mais tarde, em resultado dos acidentes rodoviários.

De acordo com os dados da ANSR, em 2018, o distrito de Leiria registou 7.437 acidentes, dos quais resultaram 40 mortos e 152 feridos graves.

Em período homólogo de 2017, na região tinham ocorrido 7.320 acidentes, com 27 vítimas mortais e 168 feridos graves.

Os dados colocam Leiria no quarto lugar a nível nacional – a seguir a Setúbal, Porto e Lisboa -, entre os distritos com acidentes mais graves. Faro também registou 40 mortos, mas contabilizou um número de acidentes mais elevado (10.604).

O NÚMERO
40

mortes é o resultado de 7.437 acidentes registados no distrito de Leiria durante o ano de 2018. No ano passado, a região tinha contabilizado 27 mortos e em 2016 o número de vítimas mortais foi de 32
 
#SEMFOMENAREGIÃO

Junte-se a uma grande causa

Ao assinar o Jornal de Leiria durante o mês de Maio, está a contribuir com 10€ para o combate à fome na nossa região.

Uma iniciativa com o apoio Makro

Saiba mais aqui.