Sociedade

Câmara da Batalha volta a pedir ao Governo redução do preço das portagens na A19

25 jul 2016 00:00

Presidente da câmara alerta para os impactos ambientais sobre o Mosteiro da Batalha

camara-da-batalha-volta-a-pedir-ao-governo-reducao-do-preco-das-portagens-na-a19-4685
Jacinto Silva Duro

O presidente da Câmara da Batalha reiterou hoje junto do ministro do Planeamento e das Infra-estruturas a introdução de descontos nas portagens para os veículos pesados, com o objectivo de minimizar os impactos ambientais sobre o Mosteiro da Batalha. 

Em nota de imprensa, o município da Batalha insiste com a modulação de portagens na Autoestrada número 19 (A19) - descontos e reduções no valor das portagens às viaturas pesadas. 

O presidente da Câmara, Paulo Batista dos Santos, apela ainda para uma intervenção preventiva no IC2 em frente ao Mosteiro, através da redução da faixa de rodagem e a introdução de condicionamentos ao trânsito de pesados de mercadorias, para reduzir a velocidade e o fluxo de tráfego, factores principais de ruído e de vibrações que afectam a estrutura do Mosteiro.   

Um estudo realizado pelo Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), através do Laboratório de Ruído e Vibrações, apurou que as medições de ruído ambiente no Mosteiro da Batalha revelam valores muito acima dos permitidos por Lei para o local e que se devem integralmente à influência do trânsito na Estrada Nacional que passa em frente do Mosteiro, recorda a Câmara no comunicado. 

Por essa razão, diz o Município, o Mosteiro da Batalha “está a degradar-se a olhos vistos (situação mais visível na fachada principal do Mosteiro, frente à estrada nacional), para o qual tem contribuído o volume excessivo de trânsito de veículos pesados que passa pela estrada nacional, porque a alternativa criada – a A19 – não cumpre o objectivo que justificou a sua construção, isto é, constituir uma alternativa ao troço da EN1 na zona frontal do Mosteiro”. 

Paulo Batista dos Santos considera que numa altura em que o Governo anuncia a aplicação de 15% de desconto a todos os veículos que circulem, a partir de 1 de Agosto, em algumas auto-estradas, vias maioritariamente localizadas no interior do país, com o objectivo de garantir a coesão territorial e de promoção turística no Algarve, a Câmara da Batalha recupera o alerta que já dirigiu ao Governo e disponibiliza-se para colaborar na solução, uma vez que inscreveu no seu plano de acção de reabilitação urbana (PARU) o projecto de requalificação ambiental da frente do Mosteiro, estando o mesmo em apreciação junto da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional da Região Centro. 

Citado na nota de imprensa, o presidente da Batalha refere que “a valorização e protecção do Mosteiro da Batalha, património nacional e classificado pela UNESCO, deve ser uma prioridade nacional e representa em termos locais um objectivo estratégico que o Município da Batalha está fortemente empenhado e disponível para investir recursos”. 

“Contamos com igual disponibilidade e apoio da parte do Governo e da Concessionária Infraestruturas de Portugal. S.A., sem a quais este projecto não será viável”, acrescentou Paulo Batista dos Santos.