Sociedade

“Auxiliar os meus semelhantes em todas as circunstâncias”. Plataforma de escuteiros e escoteiros de Leiria ajuda quem não pode sair de casa

24 mar 2020 16:42

És escuteiro ou antigo escuteiro? Queres ajudar a deixar o Mundo um pouco melhor, do que o encontraste? Podes e queres ajudar neste momento difícil para o País e para o Mundo? Então, esta missão é para ti. 

auxiliar-os-meus-semelhantes-em-todas-as-circunstancias-plataforma-de-escuteiros-e-escoteiros-de-leiria-ajuda-quem-nao-pode-sair-de-casa
“’Auxiliar os meus semelhantes em todas as circunstâncias’ é um dos três artigos com que cada Escuteiro se compromete no dia da sua Promessa"
DR
Jacinto Silva Duro

A plataforma www.auxiliar.pt tem como objectivo ajudar pessoas que não devem ou não podem deslocar-se durante o estado de emergência devido ao novo coronavírus, por estarem em grupos de risco ou por outra razão que impeça a saída de casa.

E destina-se a actuais ou antigos discípulos de Robert Baden-Powell. “’Auxiliar os meus semelhantes em todas as circunstâncias’ é um dos três artigos com que cada Escuteiro se compromete no dia da sua Promessa. É esta missão que nos move”.

José Simões, mentor da iniciativa e CEO da Eclo Solutions, empresa de Leiria de base tecnológica que desenvolve e comercializa soluções de software e electrónica, explica que a www.auxiliar.pt é um mecanismo que funciona em parceria com instituições de solidariedade social que recebem e validam os pedidos de ajuda de quem precisa.

A opção por ter apenas escuteiros ou escoteiros – do Corpo Nacional de Escutas–Escutismo Católico Português e Associação de Escoteiros de Portugal, respectivamente - a colaborar, explica Simões, também ele um antigo escuteiro - na verdade, nunca se deixa de o ser - é que, assim, garante “pessoas de confiança, que sabem trabalhar em rede com instituições de solidariedade social, que já estão no terreno e conseguem receber e filtrar os pedidos de ajuda”.

José Simões refere que o objectivo é ajudar no que for possível.

“Existe uma aplicação que serve para agilizar a distribuição de tarefas. Os parceiros carregam os pedidos e, automaticamente, os voluntários na zona respectiva recebem uma notificação, assinalam que estão a tratar do pedido, fazem o que é solicitado e fecham o pedido.”

A aplicação funciona com base na web e está disponível para todos os sistemas operativos.

“Foi desenvolvida pela VOID, também uma empresa tecnológica de Leiria, no tempo recorde de uma semana! Temos o apoio da EZ4U, para os SMS de notificações, e já temos o sim da Altice”, conta José Simões.

O mentor explica que, embora a ideia tenha sido sua, esta é uma iniciativa claramente colectiva. Após ter equacionado o assunto, Simões falou com alguns conhecidos para validar o conceito. “Depois, abordei o João Mota, da VOID, e a coisa tomou forma numa questão de horas.”

Outro antigo discípulo de Baden-Powell, Paulo Garcia Martins, um dos administradores da inCentea, grupo de empresas de base tecnológica, também de Leiria, onde existe um grande número de actuais e antigos escuteiros, juntou-se ao grupo de trabalho e chamou a si a tarefa de estabelecer contactos, com as várias entidades, como a Altice ou a Câmara Municipal de Leiria. 

E Martins ainda recrutou outro voluntário na empresa. 

“Foi uma boa adição ao www.auxiliar.pt, porque as pessoas da inCentea conhecem meio mundo e conseguem abrir portas de uma maneira incrível, além de serem muito bons nos procedimentos e organização das operações”, refere Simões.

O site, contas de redes sociais e toda a imagem foram montados num fim-de-semana e a plataforma foi para o ar na segunda-feira, dia 16. 

Na semana seguinte, deu-se o processo de validar procedimentos, como as inscrições, e de criar manuais para ajudar os voluntários. 

Por fim, no sábado passado, a aplicação ficou operacional. O passo seguinte é contactar as instituições como a Caritas, as paróquias, as IPSS e as autarquias.

José Simões acredita que será fácil aplicar esta estrutura a outras regiões escutistas do País, facultando-lhes a experiência adquirida, caso pretendam aderir ao projecto. 

“A infraestrutura é perfeitamente escalável e dá para que muitas outras redes locais funcionem. Pensar globalmente e agir localmente, é um slogan que volta a estar na moda.”

A iniciativa, salienta, apesar de ser constituída e gerida por escuteiros, não é uma actividade escutista, uma vez que o Corpo Nacional de Escutas não está envolvido. Foi iniciada por um grupo de cidadãos escuteiros e associa empresas tecnológicas de Leiria (daí a ligação ao TICE Leiria, plataforma que reúne as empresas de base digital da região de Leiria).

“Cada um está aqui a título pessoal, como cidadão”, remata José Simões.

EVENTOS