Economia

As ligações a Leiria da startup que quer ser a Uber das bagagens

20 nov 2019 21:30

Luggit prepara-se para angariar o primeiro grande investimento junto de uma sociedade de venture capital

as-ligacoes-a-leiria-da-startup-que-quer-ser-a-uber-das-bagagens
Da esquerda para a direita: Wilson Capitão, Diogo Correia, Hugo Fonseca, João Pedrosa e Ricardo Figueiredo
DR

Não pretendem menos do que ser uma espécie de Uber, ou seja, sonham com o dia em que as pessoas vão “chamar um Luggit” quando quiserem separar-se, temporariamente, da bagagem, nas horas vagas entre o hotel e o próximo voo.

Por outras palavras, ambicionam tornar-se “a referência”, em Portugal e no mundo, de um novo negócio em que a app faz a viagem menos pesada e mais livre.

São quatro fundadores, um deles, João Pedrosa, natural de Leiria. Mas as ligações à região não terminam aqui: há um engenheiro informático que também nasceu em Leiria e o homem responsável por colocar fermento nas vendas, Wilson Capitão, é originário do concelho de Pombal.

Já disponível em Lisboa (desde Julho) e Porto (Outubro), a Luggit prepara-se para captar o primeiro grande investimento, junto de uma sociedade de venture capital. Os objectivos passam por expandir a operação, apostar no marketing, aumentar a equipa de desenvolvimento para fornecer novas funcionalidades e começar a preparar a internacionalização, a estreia noutro país, já em 2020.

“O nosso principal desafio é conseguir escalar rapidamente porque somos os únicos a operar desta maneira”, explica o chief technology officer (CTO), João Pedrosa, que criou a startup com Ricardo Figueiredo, Diogo Correia e Hugo Fonseca. Já ganharam alguns concursos de empreendedorismo e estão empenhados em ser “a referência” no sector.

Como funciona? Simples. O cliente usa o telemóvel e a aplicação digital da Luggit para convocar um keeper, que é quem recolhe a bagagem e a leva ao destino.

O serviço aplica-se, tipicamente, no check out do hotel ou alojamento local e resolve o intervalo de tempo até ao aeroporto, que fica liberto para outras actividades. Mas também é útil no check in ou qualquer situação em que o viajante pretende encaminhar, de imediato, as malas, sem precisar de deslocar-se até um cacifo ou armazém.

“Em comparação com os luggage storage em Lisboa e Porto fazemos praticamente metade do preço”, garante João Pedrosa, que cresceu na Bajouca e deixou o concelho de Leiria para estudar na Universidade de Aveiro, onde também se licenciaram outros dois fundadores da tecnológica, que continua sedeada na cidade da ria e dos ovos moles, na incubadora IEUA.

No curto prazo, está previsto o arranque de um piloto com os hotéis Vila Galé.

O growth manager da Luggit é Wilson Capitão, antigo aluno do Politécnico de Leiria. “A minha função é descobrir novos canais de venda e optimizá-los”, traduz. “Fazer crescer esta empresa para que seja a primeira, a nível internacional”.

O começo parece prometedor, com vitórias no programa de aceleração Newton e no Programa Intensivo em Empreendedorismo da Nerlei – Associação Empresarial da Região de Leiria, além de um lugar nos 20 melhores do projecto Startup Lighthouse, que decorre em quatro países da Europa.

EVENTOS