Login
Esqueci a password

Se esqueceu o seu Username ou a sua Password envie-nos o seu e-mail e receberá os seus dados de acesso por e-mail.

Se não sabe que endereço de e-mail utilizou no seu registo, por favor contacte os nossos serviços através do nosso e-mail assinantes@jornaldeleiria.pt.

Para procurar palavras exactas utilize aspas. Ex: "Castelo de Leiria" "Jornal de Leiria"
Área restrita

A secção que pretende aceder é restrita a assinantes do Jornal de Leiria. Para se tornar assinante vá à área Assinatura.

Se já for assinante da edição impressa, pode registar-se na edição online, sem custos adicionais.

Caso já tenha um registo, efectue login.

Opinião

João Carvalho Santos Voltar

14:52 - 03 Outubro 2019
Os energúmenos destroem as instituições

Os energúmenos destroem as instituições

Um país sem instituições fortes e respeitadas nunca será um país com futuro.

As instituições são organizações e ou mec anismos sociais que definem e controlam o funcionamento da sociedade e dos indivíduos. São o produto do interesse social e organizadas sob a forma de regras e normas, visam à ordenação das interações entre os indivíduos e entre estes e suas respetivas formas organizacionais (Miller e S eumas, 2014).

De acordo Huntington (1965) as instituições são “padrões de comportamento recorrentes, valorizados e estáveis."

São exemplos de instituições os partidos políticos, as igrejas, templos, mesquitas, as escolas, universidades, tradições, normas e cultura. O próprio casamento e linguagem podem também ser considerados instituições.

São as instituições que tornam os países diferentes uns dos outros e dão razão de ser a sentimentos patrióticos e sentido de pertença. Um país sem instituições fortes e respeitadas nunca será um país com futuro.

Infelizmente em Portugal as instituições são fracas e cada vez menos valorizadas.

Quando um juíz envolvido em vários escândalos de corrupção é nomeado para julgar um dos maiores casos de corrupção há pouco mais a 

LER MAIS

Faça para ler a totalidade do artigo ou registe-se e aceda à versão integral deste texto





Os comentários são da exclusiva responsabilidade do utilizador